Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Alegria, rapazes! / Something for the boys (1944)

Hollywood, é verdade, produziu vários filmes esquecidos e esquecíveis, apenas pensando no sucesso comercial. No entanto, essas relíquias cinematográficas ainda são capazes de botar um sorriso no rosto do espectador, mostrando que estão com plena capacidade de nos divertir.
Durante a guerra, uma série de musicais foram feitos com a clara finalidade de fazer o público esquecer as agruras dos campos de batalha e os entes queridos que estavam combatendo. Além disso, estes filmes geravam uma boa renda ao incentivarem a plateia a comprar bônus de guerra. Seguindo esta lógica, “Alegria, rapazes!” foi um grande sucesso, pois ao mesmo tempo deu nova esperança ao país, retratou o cotidiano de soldados e seus familiars e se saiu muito bem na bilheteria.
Três primos que não se conheciam descobrem que herdaram um casarão. Chiquita (Carmen Miranda), Harry (Phil Silvers) e Blossom (Vivian Blaine) abandonam seus empregos, que não eram lá muito bons, e decidem reformar o local e alugá-lo para esposas de militares que estão no front, aliando o serviço de hospedaria aos shows performáticos. A atriz Judy Holliday, que seis anos mais tarde ganharia um Oscar, faz uma pequena ponta, com apenas uma fala.   
A Segunda Guerra Mundial não foi só mote para este filme, mas de certo modo influenciou a carreira de sua principal estrela, a portuguesa de coração brasileiro Carmen Miranda. Depois de quase dez anos de sucesso no rádio e no cinema tupiniquins, Carmen foi em 1939 para os EUA, sendo recebida com pompa. Com a entrada dos americanos no conflito, após o atentado a Pearl Harbor em dezembro de 1942, o país procurou conquistar o apoio do maior número de nações possível. Por isso, culturalmente se instalou uma “política da boa vizinhança”, incluindo personagens e personalidades latinos nas telas. Foi o que fez Walt Disney ao criar o galo mexicano Panchito e Zé Carioca. Em seu segundo filme, o papagaio dança com Aurora Miranda, irmã de Carmen. E Carmen, personificando a mulher brasileira, também teve uma ajuda na carreira graças à guerra, tornando-se protagonista de divertidos musicais cuja principal função era entreter.
E é exatamente isso que o filme faz, tendo em Chiquita sua maior força cômica. Vivian Blane, além de cantar a música-título, se sai bem na interpretação de “Wouldn’t be nice if we could fall in love?”, talvez a canção mais emblemática. Carmen tem bons momentos cômicos, principalmente ao ser colocada ao lado do divertido Phil Silvers. Ela tem poucos números musicais, mas que são suficientes para dar-lhe seu merecido destaque.

Criado como musical da Broadway, estrelado por Ethel Merman e com canções de Cole Porter, o filme foi levado às telas por Mike Todd (terceiro marido de Elizabeth Taylor e produtor de “A volta ao mundo em 80 dias”). Conservando apenas a música homônima, o filme foi bem recebido e, apesar de não estar à altura de alguns musicais, ainda diverte e apresenta um dos momentos de maior brilho de nossa pequena notável.

19 comentários:

Equipe disse...

Olá Letícia. Sou do blog "http://www.omundodoscinefilos.blogspot.com/".

Gostaria de pedir que divulgasse nosso blog entre os seus blogs amigos, se gostar, é claro; e nós faremos o mesmo.

Abraço!

Samy Campos disse...

Amei a materia. Gosto do seu blog, por que você não da apenas a sinopse do filme, fala da historia por trás dele.

Hugo disse...

Realmente a grande maioria destas produções para animar os soldados e a população na época de 2º guerra foram esquecidas.

Até mais

Mario disse...

Creo que Brasil siempre refleja a pesar de sus problemas la alegría y el optimismo, y no me cabe duda que ésta actriz sea parte de esa esencia, me creas curiosidad hacia ella, no estaba en mis planes ver nada suyo, ya que a veces uno carga prejuicios con artistas latinos como que van a ser muy sencillos y son tonterías, hay divas y portentosas estrellas del cine desde el portugués o el español como en toda nacionalidad. Un beso.

Rubi disse...

Aí está um filme que sempre quis assistir, no entanto nunca encontrei. Tenho a impressão de que os filmes da Carmen são todos verdadeiras relíquias. Foi ótimo você te-lo citado. Me fez lembrar que eu ainda preciso encontra-lo HAHAHA

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Novidade Para mim, nunca tinha ouvido falar desse filme. Não sou mto fã de musicais mas só pelo fato de ter Carmem Miranda já vale a pena... Valeu por nos trazer esse Post, vou tentar achar esse filme, vc sabe se alguma distribuidora o lançou recentemente no mercado?

Ótimo Post Lê, parabéns...

Abração

Gabriel França disse...

nossa, fiquei morrendo de vontade de assistir!!!

Lê, poderia retribuir o comentário, deixando a sua opinião no último post lá do meu blog?

http://monteolimpoblog.blogspot.com/2012/02/as-20-melhores-cenas-de-sexo-do-cinema.html

Obrigado e bjs!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

é um filme despretensioso e muito, muito divertido.

O Falcão Maltês

Selton Dutra Zen disse...

Oi Lê, também adorei seu blog. Poderíamos fazer uma espécie de parceria? Eu te linko no meu blog e vc me linka no seu, pode ser?

Iza disse...

Adorei o post, Lê! Adoro a Carmen Miranda, um símbolo luso-brasileiro, não é mesmo?? Esta chegando o Carnaval e nessa época sempre me lembro de Carmen. Beijos!!

http://vintageiz.blogspot.com

Mallü Nogueira disse...

Oii querida, muito obrigada pela visita. Volte sempre que quiser, tá?

Beijos, Mallü.
http://thelovekingdom.blogspot.com

Jeniffer Yara disse...

Interessante o filme, e o seu blog também! Já é o segundo blog que encontro que aborda temas não tão vistos por aí,e amei *O*

Beijos

Amanda Souza disse...

Nossa que legal flor
parece ser muito boom o filme
seguindo aqii ..

http://souzadiinha.blogspot.com
Beijoos ♥

Joicy Sorcière disse...

Olá, primeiramente quero agradecer por sua visita e comentário... como prometi, estou aqui! rs

Adorei seu blog, viu!? Estarei aqui mais vezes. Adoro filmes!!! Porém, confesso, quase não assisto esses clássicos antigos.

bjs

Lumi 7 disse...

Letícia:
Que imensa e grata surpresa conhecer seu blog! A minha cara total! hehehe... Sentia uma imensa lacuna por encontrar poucos blogueiros que conseguiam produzir textos consistentes sobre grandes clássicos, por isso agradeço imensamente a você. Este filme, "Alegria Rapazes!", por exemplo, eu ainda não assisti, e seu belíssimo texto me tentou a corrigir essa lacuna. Virei fã e visitante assídua. Obrigado pela visita ao Lumi7. Volte sempre!!!

Wilson Antonio

Danielle Carvalho disse...

Oi, Lê!

Embora admire demais a Carmen, nunca vi esse filme, que, pelo seu ótimo texto, parece um bom exemplo das produções despretensiosas e divertidas que ela rodou em Hollywood. Vou procurá-lo porque alguns dela, como "Uma noite no Rio", estão entre meus musicais preferidos!

Bjs
Dani

Selton Dutra Zen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LP Decor disse...

Eu adoro Carmen! Acho que ela é nossa e pronto!

Mas infelizmente nunca vi esse filme. Procurarei em breve!

Tem que ver esse post, linda como sempre:
http://lpdecor.blogspot.com.br/2012/02/tico-tico-no-fuba-carmen-miranda.html

Anônimo disse...

Eu tenho esse filme, mas fui ver no IMDB e fiquei... frustrado com o número 5.7 que ele recebeu. Não é uma das mais ricas e mais importantes produções de Hollywood, mas também não é uma das piores, visto que ''Doll face'' foi o pior de Carmen. Não é nenhuma verdadeira obra cinematográfica, mas é bem legal para pessoas que gostam de filmes simples, descomplicados e divertidos, assim como eu.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...