Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

quinta-feira, 26 de julho de 2012

E se... “O Paciente Inglês” tivesse sido feito em 1936?

Eu e mais muitas outras pessoas preferimos o cinema clássico ao atual. Mas não podemos negar que há uma série de bons filmes feitos recentemente. Um deles é o ganhador de nove Oscars em 1996, “O Paciente Inglês”.  

A enfermeira Hanna (Juliette Binoche) cuida um homem quase totalmente queimado (Ralph Fiennes) e estabelece seu leito em um convento abandonado, pois era impossível chegar ao hospital em um estado tão grave. Quando ele melhora, começa a contar seu passado como cartógrafo na África, quando se envolveu com Katharine Clifton (Kristin Scott Thomas), esposa do colega de trabalho Geoffrey (Colin Firth). Hanna começa a sentir afeto pelo paciente, e nos momentos em que não está cuidando dele, sai com o soldado Kip (Naveen Andrews).
Mais uma coisa que eu e muitos outros fãs de cinema clássico gostam é de criar hipóteses malucas e imaginar como um filme atual seria feito na Era de Ouro de Hollywood. Imaginemos que “O Paciente Inglês” tivesse sido filmado 60 anos antes, em 1936:
O novo elenco: Hanna (Binoche): Jean Harlow
Conde Lazslo de Almasy (Fiennes): Clark Gable
Katharine (Scott Thomas): Myrna Loy
(Firth): Fredric March
Kip (Andrews): Gary Cooper
Dirigido por George Cukor

Mas... Por quê? Com este elenco, “O Paciente Inglês” seria um all-star movie de deixar “Grande Hotel” (1932) com inveja. Ele reuniria as estrelas mais populares da época. Ver Clark Gable boa parte do tempo enfaixado seria por si só interessante, mas nas cenas de flashback ele usaria todas as suas habilidades de sedução para ficar com Myrna Loy, com quem contracenava frequentemente. O marido de Myrna seria Fredric March por um motivo simples: William Powell jamais serviria para o papel, porque Myrna não o trocaria por nada neste mundo (mas Fred também era muito bom!). Jean Harlow tinha a simpatia e a bondade necessárias para dar vida à personagem de Binoche. Eu consigo visualizar perfeitamente Jean na cena em que Hanna é levada pelo namorado para fazer um passeio especial e ver os afrescos no alto das paredes da igreja. Além disso, ela faria um belo casal com Gary Cooper, vocês não acham?
Acredito que George Cukor seria o diretor perfeito para o filme porque ele mostrou muito bem que não dirigia só mulheres talentosas. Cukor passeava por diversos gêneros e se saía muito bem em melodramas românticos. Só haveria um problema: para dirigir este filme, ele provavelmente teria de abandonar a direção de “A Dama das Camélias / Camille”. O outro grande problema seria driblar o Código Hays para que a produção saísse do papel!

This post is my entry for the Great Recasting Blogathon, hosted by Frankly, My Dear and In the Mood. It was a swell idea!

20 comentários:

Devaneios disse...

Seria demais poder ver "O Paciente Inglês" em 1936!

Iza disse...

Uau! Seria um filme e tanto hein. Ver tantas estrelas num só filme seria ótimo. Concordo com você, cinema clássico é cinema clássico, mas muitos filmes de agora também são muito bons. Grande beijo pra você!

Marcelo Bonavides de Castro disse...

Perfeito!
Seria ótimo ver Jean Harlow em mais um bom papel!

Meire disse...

Oi Le,

gostei da idéia, seria fantástico.

Bejim.

Danielle Carvalho disse...

:D :D
Eu gosto tanto do Paciente Inglês que nunca pensei na possibilidade de outro elenco para ele. Acho Ralph Fiennes o ator mais sensível de Hollywood, Kristin Scott Thomas sensacional e amo a Juliette Binoche. O filme é tão delicado, poético e ao mesmo tempo tão realista pra falar da Guerra que até parece um clássico, não é?
Gostei do elenco todo que você escolheu! Jean Harlow como a enfermeira... interessante! Gable talvez não funcionasse bem de rosto enfaixado - eu colocaria aí o F. March, ator mais versátil. Loy é sempre uma ótima escolha (aliás, saudade dela...).

Bjinhos, Lê, e muito boa sorte pra ti na Bienal!
Dani

Milton disse...

Olá!
Eu adorei tanto este filme que nunca pensei nisso, mas vale a crônica.
Aliás, parabéns pelo blog. Lhe encontrei no blogue da Raquel Crusoé, o Arte e Cultura, e já estou lhe seguindo. Adoro cinema!
Milton!

www.postsabeiramar.blogspot.com

journeysinclassicfilm.com disse...

Myrna Loy would make a fantastic Katherine although I'm not sure of Gable in the Fiennes role. Possibly Errol Flynn? Great post!

J. BRUNO disse...

Eu considero o 'Paciente Inglês' um clássico e isso independe da época em que ele foi realizado, mas eu também gostaria de ver como ele seria se tivesse sido realizado, não em 1936, mas no ano em que sua trama se desenvolve... Também estou tentando imaginar qual seria o elenco ideal...

http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/07/o-pequeno-principe.html

Gabriel França disse...

Do jeito que é, esse filme ficaria bom se fosse feito em qualquer época!

http://monteolimpoblog.blogspot.com.br/

RedApple Pin-ups disse...

Com certeza seria perfeito!!!

Bjos
Amanda Fernandes
www.redapplepinups.com

Gabriel França disse...

Oi, Lê, voltei! só para você ficar sabendo, eu respondi seu comentário lá no post das maldições do cinema, veja: http://monteolimpoblog.blogspot.com.br/2012/07/maldicoes-do-cinema.html

Abraços!

Dário Shoupaiwisky disse...

Olá
Tudo bom?
Adorei o post,adoro os grandes clássicos
Vejo você lá no blog?
Beijos
@ofthemoda

FlickChick disse...

Le - this was perfect casting. One of the reason I was sort of luke-warm about the movie is the cast. Your stars would make anyone sit up and take notice! Great post!

Rianna disse...

This was some really fantastic casting here. (I'm super pleased you covered The English Patient, you know). LOVE LOVE the all star cast, definitely rivaling Grand Hotel here. Myrna and Fredric March together sounds great to me (loved the pairing in Best Years of Our Lives), and the addition of Jean Harlow is awesome. (I think I remember reading somewhere that Myrna & Jean were friends... but I'm not sure, you're the Jean expert! :D) Thanks for joining us, dear!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gostei da ideia... O PACIENTE INGLÊS realmente parece um clássico da era de ouro de Hollywood.

O Falcão Maltês

As Tertulías disse...

Divina postagem!!!!!!!!!!!! Inteligentíssima!!!!!!! Wow.... you made my day!!!!!!!!

Rubi disse...

Sabe Lê; pensei que só eu tivesse essa "mania" de assistir filmes atuais imaginando como seria uma versão mais antiga. E de todos os filmes que assisti, O Paciente Inglês, de fato parece um daqueles clássicos da Era de Ouro de Hollywood (como disse Antonio).

Ótimo post!

Joseph disse...

You certainly did create an ensemble cast to rival Grand Hotel! In this recasting, a different war would have to be covered because The English Patient revolved around World War II, but I think a World War I back story would work. Aside from issues related to the Hays Code, I also wonder how this movie's narrative would flow. '30s Hollywood movies didn't really explore non-linear plots, but the thought of one is thrilling and would have put Hwood more in line with the avant-garde European film trends.

Rafa Amaral disse...

Muito boa a ideia do post. Quando vi O Paciente Inglês, no cinema, na época (veja como estou velho hehe), achei um bom filme, mas nada de muito grande. Grande abraço. Rafael Amaral. cinemavelho.com

Anônimo disse...

Eu colocaria Greta Garbo como Katharine, acho que o sotaque não seria um problema, pois naquela época não importava muito os detalhes. Katherine Hepburn também seria uma boa opção. Conde Lazslo poderia se Lawrence Olivier. Hanna poderia ser Ingrid Bergman (sei que ela ainda estava na Suécia, mas se é para fazer de conta, por que não?). Olivia de Havilland também poderia ser interessante. Kip poderia ser Charles Boyer. David Caravaggio poderia ser Basil Rathbone. Como diretor eu colocaria William Wyler, ou Clarence Brown ou Max Olphus.

I would cast Greta Garbo as Katharine, I think the accent would not be a problem, because at that time did not matter much detail. Katherine Hepburn would also be a good option. Count Laszlo could be Lawrence Olivier. Hanna could be Ingrid Bergman (I know she was still in Sweden, but it is to pretend, why not). Olivia de Havilland could also be interesting. Kip could be Charles Boyer. David Caravaggio could be Basil Rathbone. As a director I would put William Wyler, or Clarence Brown and Max Olphus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...