Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sábado, 5 de janeiro de 2013

Desenho Retrô: A Turma da Gatolândia

Antes dos longa-metragens épicos, antes dos filmes de Hitchcock e Orson Welles, antes dos musicais, antes dos filmes mudos, eu assistia a desenhos antigos. Era por volta de 2003 e eu já tinha uma quedinha por tudo que era velho. E o canal Boomerang veio a calhar, pois exibia os desenhos animados clássicos da época da minha mãe, ou seja, da excelente safra Hanna-Barbera. E lembro com clareza que durante a semana, na faixa das duas horas, eu assistia com entusiasmo a uma singela produção com o simpático nome “A Turma da Gatolândia”. O que eu só fiquei sabendo agora é que no original o nome era “Cattanooga Cats”, ainda mais psicodélico.
Nem sei ao certo por que eu gostava da Turma da Gatolândia. Olhando com minhas opiniões atuais, creio que houve uma atração por todo aquele visual psicodélico dos anos 1960, que era o retrato de uma época. Devo acrescentar, claro, a parte lúdica, porque um desenho divertido atrai toda criança e eu, apesar de ter uma inclinação pelo passado, sempre gostei de me divertir.  
Antes da Turma da Gatolândia os talentosos William Hanna e Joseph Barbera já haviam se aventurado com um grupo de animais cantores: a banda Banana Splits, composta por um beagle, um gorila, um leão e um elefante mudo (?!). Quatro pobres atores tinham de se fantasiar para dar vida a esse estranho conjunto. Um ano depois da criação dos Banana Splits, Hanna e Barbera criaram a banda de gatos, desta vez composta apenas por personagens de desenho animado.
Os episódios de uma hora de duração apresentavam várias atrações. Obviamente, a principal era a aventura dos gatos Country, Conceição (Kitty Jo no original), Groove, Figura (originalmente Scoots) e de Fanzoca (Chessie nos EUA), uma ávida caçadora de autógrafos. Apesar de eles serem as estrelas do show, apenas nove histórias foram produzidas com a turma. O resto da hora era preenchido por outros desenhos, como “É o Lobo / It’s the Wolf”, que ganhou série própria com 22 episódios de meia hora. O Lobo Bobo, aliás, se mostrou a personagem mais carismática da série, uma vez que sobreviveu mais seis anos em outra série animada, “Ho-Ho Límpicos / Laff-a-Lympics”. E sim, eu acompanhei todos esses desenhos.
Além do lobo, havia também o desenho “Juca Bala e Zé Bolha / Motormouse and Autocat”, respectivamente um gato e um rato que levavam as perseguições de Tom & Jerry à modernidade, uma vez que o gato, de carro, perseguia o rato, de moto. A Turma da Gatolândia ficava completa com “A volta ao mundo em 79 dias”, paródia do livro de Júlio Verne. No entanto, o ponto alto do show era o clipe da Turma da Gatolândia, com direito a efeitos psicodélicos e músicas originais com o ritmo do momento.

A Turma da Gatolândia, infelizmente, não fez sucesso na televisão e ficou no ar por apenas duas temporadas. Nem o disco oriundo do programa, com as animadas músicas felinas, conseguiu salvar a Turma da Gatolândia. Mesmo assim, o show foi reprisado várias vezes em diversos países e hoje é um desenho cult relembrado com nostalgia por seus fãs.

10 comentários:

Iza disse...

Ai que coisas fofas, Lê. Assistia demais o Gato Felix, A Pantera Cor-de-rosa , Josy e as Gatinhas, os flinstones e Os Jetsons. Na verdade quando vou viajar de avião, fico assistindo filme antigo hehehe.
Beijão <3

Pedrita disse...

nossa, q delícia lembrar desses desenhos. beijos, pedrita

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Saudades dessa turma.
Feliz 2013, Lê. E viva o cinema!

O Falcão Maltês

Michelle disse...

Lembro vagamente dos personagens de a A Turma da Gatolândia. Devo ter visto algum episódio, mas não cheguei a acompanhar. Já de O Lobo Bobo eu gostava. Lembrei de uns antiguinhos que passava na falecida Rede Manchete: Carangos e Motocas (adorava!), o Homem-Elástico e Bicudo e Bicudinho.
Bons tempos...
bjo

Rubi disse...

Quantas relíquias, Lê!
Cheguei a ver a Turma da Gatolândia, mas me lembro vagamente dos personagens, infelizmente. E acredite, somos muito parecidas nesse sentido de gostar de coisas antigas; inclusive desenhos (pensei ser a única HAHA).

Beijos!

Suzane Weck disse...

Ola querida LÊ,infelizmente não cheguei á assistir esta gostosa "Turminha".Como tu,também gosto de coisas antigas ,principalmente filmes cujas musicas se tornaram imortais.Beijos no coração.SU.

Gilberto Carlos disse...

Lê, também adoro os desenhos da dupla Hanna Barbera, mas esse A turma da gatolândia eu não cheguei a assistir. Pena que o Boomerang perdeu um pouco seu foco e já não exibe tantos clássicos quanto antigamente. Obrigado pela dica do filme Vento e areia lá no Gilberto Cinema. Vou adicioná-lo. Abraços.

Iza disse...

Lê, bom final de semana pra você!!!
Beijão <3

d é h disse...

Oi Letícia, tudo bem?
Obrigado por comentar lá no meu blog e pelo elogio.

Segui a sua dica e vim aqui fazer uma visita. E nossa, gostei muito, você tem um blog muito legal, riquíssimo em informações. Virei aqui mais vezes ok? ^^/

Estou seguindo seu blog.
Depois siga o meu também, por favor?

http://umvortice.blogspot.com.br/

Obrigado.
Beijo.

Anônimo disse...

You made some nice points there. I looked on the internet for the

subject and found most individuals will go along with with

your website.

Also visit my webpage :: http://www.adfty.net/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...