Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

terça-feira, 7 de julho de 2015

Os reis do iê-iê-iê / A Hard Day's Night (1964)

A Hard Day's Night” começa como um dia qualquer na vida do quarteto mais famoso dos anos 60: com os Beatles fugindo de uma multidão de fãs histéricas. Se você é como eu, e a história de um filme é o que mais importa, então pode pôr seu cérebro no modo descanso e aproveitar: o importante aqui é curtir a atração, sem tentar compreender uma história que não faz sentido – ou talvez  faça sentido porque só poderia acontecer nos bastidores do mundo da televisão.
Os Beatles (John, Paul, Ringo e George) vão gravar um programa de televisão. Para chegar aos estúdios eles viajam de trem com seus empresários e levam a tiracolo o avô de Paul McCartney (Wilfrid Brambell), um idoso fora dos padrões... e também muito limpo. A principal função deste avô é criar o caos por onde passa, seduzindo moças, falsificando assinaturas, participando de uma ópera por engano e finalmente fazendo Ringo se rebelar, no melhor estilo Ferris Bueller.
Eles são celebridades muito, muito irreverentes, que fogem das fãs, da imprensa e estão sempre desafiando a autoridade (empresários, diretores de televisão). Esta rebeldia conquistava o público, e sem dúvida fez com que muitos espectadores imaginassem como seria legal ser amigo dos Beatles (mais de 50 anos depois da estreia do filme eu ainda sonho com esta oportunidade). Neste sentido, o filme pode ser visto como a visão dos próprios Beatles sobre a fama: não é possível levar tudo e todos a sério quando se é uma celebridade. E talvez não seja preciso levar tudo e todos a sério em momento algum da vida, mesmo para as pessoas comuns.
O filme consegue ser psicodélico sem precisar de truques de câmera ou de cores ousadas (e se o filme fosse colorido, se aproximaria muito de uma obra de Wes Anderson). Os Beatles se comportam como versões muito jovens dos irmãos Marx, e é impossível perceber todas as piadas, frases espirituosas e situações cômicas vendo o filme pela primeira vez. Apenas múltiplas visitas ao grande sucesso dos Beatles no cinema são capazes de transmitir a qualidade cômica e transgressora da obra. Cada frase distorcida ou resposta malcriada é dita com toda a seriedade por rostos estoicos que dariam orgulho a Buster Keaton. As cenas de perseguição perto do final, aliás, lembram muito os curtas-metragens de Keaton, em especial “Cops” (1922).
Apesar de tanta comédia, o filme é sobretudo um musical feito para mostrar o talento da maior banda do momento. Não apenas durante o show, mas em várias cenas ao ar livre os sucessos dos Beatles podem ser ouvidos, entre eles: “A Hard Day's Night” (obviamente, e que foi composta durante as filmagens), “She Loves You”, “Can't Buy Me Love”, “I Should Have Known Better”, “And I Love Her”, “I Wanna Be Your Man” e “All My Loving”.
Nos anos 60 os jovens estavam se rebelando contra os valores ultrapassados do pós-guerra e ensaiando a mudança no mundo. Se fosse necessário escolher um ícone cultural que representasse este mudança, sem dúvida seriam os Beatles. E nunca eles foram mais rebeldes que neste filme. Apesar de quase todas as músicas falarem de amor, é a rebeldia dos músicos que contrasta e conquista. Até o final de 1964, o filme arrecadou doze milhões de dólares nas bilheterias americanas (seu custo foi de apenas meio milhão). A Beatlemania estava só começando!


This is my contribution to the Beatles Film Blogathon, hosted by Steve at Movie Movie Blog Blog. Twist and Shout!

9 comentários:

Steve Bailey disse...

Very nice critique! Loved your comparisons to Ferris Bueller and Keaton's COPS. I also liked the thought that, 50 years later, Beatles fans would still love to know what it would be like to be in that mob. Beautiful review!

ClassicBecky disse...

Hi Le! I haven't been around much because of months of illness -- in other words, a really lousy year or so. I've missed your blog, and I really enjoyed this Beatles article. I am old enough to have been a pre-teen when the Beatles came on the scene. They never did a concert in my town, but I remember the Ed Sullivan show and all the screaming and crying. I was one of them in my own living room. My parents were very concerned about my mental health ... LOL! Thanks for the memories!

Pedrita disse...

esse filme é muito legal. beijos, pedrita

Terence Towles Canote disse...

I think you already know The Beatles are my favourite band of all time and A Hard Day's Night is one of my favourite movies. It is just so much fun, and the music is great. Great post!

Suzane Weck disse...

Ola ,adorei a postagem sobre o filme dos Beattles.Aliás ,sempre gostei deles e de suas canções.Meu grande abraço.SU

Claudio disse...

Esse filme é uma delícia, muito divertido, em especial todas as cenas em que o Ringo aparece, ele roubo o filme. Por causa deste filme Ringo sempre foi meu Beatle preferido.

Iza disse...

É muito amor por esses 4 meninos de Liverpool!
Adoro esse filme, é divertido e a trilha sonora mais perfeita impossível né?
Apesar de amar essa fase "mimosa e queridinha" dos Beatles, eu gosto mesmo é da fase psicodélica do Sgt.Pepper.
Já assistiu Help? É maravilhoso também.
Beijos <3 <3

Jefferson C. Vendrame disse...

Oi Lê!Tudo Bem?
Que saudades desse filme. Lembro-me de tê-lo visto na TV Globo nos anos 90, num sábado a tarde!
Parabéns pelo ótimo Post! Sempre informativo!
Abração!

ANTONIO NAHUD disse...

Fiquei curioso, Lê! Belo post. Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...