Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sábado, 20 de outubro de 2018

King Creole (1958): musical noir


Há muitos debates sobre o que é noir. O noir é um movimento ou um gênero? Sendo movimento, significa que filmes de qualquer gênero podem ser considerados noir? Sendo gênero, o noir pode coexistir com outros gêneros? O que eu quero dizer é: pode haver comédia noir? E que tal musical noir? Bem, eu não consigo pensar em uma só comédia noir que não seja “Cliente Morto Não Paga” (1982), mas eu posso citar dois musicais que têm elementos noir.

There is a lot of debate about what is noir. Is noir a movement or a genre? As a movement, does this mean that films from any genre can be noir? As a genre, can noir co-exist with other genres? What I want to say is: can a comedy be noir? What about a musical? Well, I can’t think about a noir comedy other than the spoof “Dead Men Don’t Wear Plaid”, from 1982, but I can think of two musicals that have noir elements in them.


O musical com mais elementos noir tem como estrelas uma garota que deixou Hollywood para se tornar freira, uma atriz que interpretaria Morticia Adams na TV e ninguém menos que Elvis Presley. “Balada Sangrenta” nos traz Danny Fisher (Elvis), um jovem com um grande problema: ele precisa trabalhar antes e depois da escola para sustentar a família. Seu pai, interpretado por Dean Jagger, perdeu o emprego após ficar viúvo, e há tem também uma irmã, Mimi (Jan Shepard), que Danny precisa sustentar.

The musical with the most noir elements stars a girl that would leave Hollywood to become a nun, an actress that would play Morticia Adams on TV and Elvis Presley himself. “King Creole” brings us Danny Fisher (Elvis), a young man with a big problem: he has to work before and after school hours in order to support his family. His father, played by Dean Jagger, has lost his job after becoming a widow, and there is also a sister, Mimi (Jan Shepard), that Danny has to help support.


Uma manhã, em um bar, ele salva uma mulher, Ronnie (Carolyn Jones), de um namorado abusivo. Ronnie e Danny vão de táxi até a escola de Danny, e antes de entrar na classe Danny briga com um colega. Depois da briga, a professora decide que a punição de Danny será não receber o diploma. Danny decide abandonar a escola.

One morning, at a bar, he saves a woman, Ronnie (Carolyn Jones), from an abusive date. Ronnie and Danny ride to Danny’s school, and before entering class Danny has a fight with a schoolmate. After this fight, his teacher decides that Danny won’t get his diploma as a punishment. Danny then drops out from school.


Depois disso, Danny se junta a uma gangue! O líder da gangue, Shark (Vic Morrow), manda Danny distrair os clientes enquanto a gangue rouba uma lanchonete. Danny os distrai cantando, e chama a atenção da garçonete Nellie (Dolores Hart), que percebe que ele é cúmplice do roubo. Eles começam a conversar e se dão bem. Uma noite, Danny leva Nellie a um quarto de hotel para transar, o que ela refusa, mas diz que ainda gostaria de vê-lo em circunstâncias diferentes. É a velha Hollywood sendo ousada!

Next, Danny joins a gang! The gang leader, Shark (Vic Morrow), orders Danny to distract customers while the gang robs a bar. Danny distracts by singing, and calls the attention of the waitress Nellie (Dolores Hart), who realizes he is accomplice in the robbery. They start chatting and hit it off. One night, Danny takes Nellie to a hotel room to have sex, which she refuses, but saying that she would still like to see him again, under different circumstances. Daring old Hollywood at its best.


Logo Danny é descoberto por Charlie LeGrand (Paul Stewart), que o convida para cantar em sua boate, chamada King Creole. Esta é uma das poucas boates na cidade que não pertencem ao perigoso Maxie Fields (Walter Mathau), o novo namorado de Ronnie. Danny se torna cantor contra a vontade do pai – o senhor Fisher agora trabalha como farmacêutico.

Soon Danny is discovered by Charlie LeGrand (Paul Stewart), who invites him to sing at his nightclub, the King Creole. The King Creole is one of the few clubs in the city not owned by dangerous Maxie Fields (Walter Matthau), Ronnie’s current boyfriend. Danny becomes a singer against his father wishes – Mr. Fisher is now working as a pharmacist.


E muitas outras coisas acontecem no filme: traição, chantagem, espancamentos por gangues, tiros, brigas com faca, triângulos amorosos. Danny percebe que está dividido entre a angelical Nellie e a sensual Ronnie. Ele também tem problemas em viver sabendo que seu pai não aprova sua carreira como cantor.

Much more happens in the movie: betrayal, blackmail, gang beatings, shootings, knife fights, love triangles. Danny finds himself torn between angelic Nellie and sexy Ronnie. He also has trouble living with his father’s disapproval of his singing career.


Vemos muitos traços noir no filme. Um dos mais óbvios e que eu aprendi no curso “Investigating Film Noir” do TCM são as fontes de iluminação visíveis – como lâmpadas que são incluídas nas tomadas. É óbvio que muitas lâmpadas e lustres apareceriam na boate, mas também temos as lâmpadas da casa de Danny incluídas nas tomadas. As cenas na casa dele, aliás, são cheias de sombras, assim como as cenas nos becos.

We see many noir traits in the film. One obvious one that I learned at the Investigating Film Noir course from TCM is the visible sources of lighting – like lamps included in the shots. It’s clear that many lamps and chandeliers would be featured in the club, but we also have the lamps in Danny’s house included in the shots. The scenes in his house, by the way, are full of shadows, just like scenes in the alleys.


Danny está dividido entre dois mundos, representados pelas duas mulheres: o mundo caseiro que Nellie representa, e o selvagem mundo do show business que Ronnie representa. Mas Ronnie não é uma femme fatale: ela não é a vamp sedutora responsável pela desgraça do protagonista. Ela é uma mulher que precisa ser salva de seus namorados abusivos e que apenas timidamente implora pelo amor de Danny, em vez de tomá-lo ferozmente.

Danny is torn between two worlds, represented by the two women: the homely world that Nellie represents, and the wild show business world that Ronnie represents. But Ronnie isn’t a femme fatale: she is not a seductive vamp responsible for the leading man’s disgrace. She is a woman who needs to be rescued from abusive relationships and only timidly begs for Danny’s love instead of going ferociously for it.


O director Michael Curtiz trabalhou em diversos filmes, dos anos 1910 até os anos 60. Seu maior título noir é “Alma em Suplício / Mildred Pierce”, de 1945. Ele definitivamente quis que “Balada Sangrenta” tivesse características noir – ele insistiu para que o filme fosse filmado em preto e branco. O diretor de fotografia Russel Haran tinha ainda mais experiência noir: trabalhou no icônico “Mortalmente Perigosa / Gun Crazy” (1950).

Director Michael Curtiz worked in many productions, from the 1910s to the 1960s. His most nourish title is “Mildred Pierce”, from 1945. He definitely wanted “King Creole” to have noir qualities – he was the one who decided to shoot it in black and white. Cinematographer Russel Harlan was even more experienced in noir: he had worked in the iconic “Gun Crazy” (1950).


Conforme os créditos rolam, e antes disso, quando o povo canta, descobrimos que o filme se passa em New Orleans. A cidade também foi cenário de filmes noir como “Férias de Natal” (1944), “A Aranha” (1945) e principalmente “Pânico nas Ruas” (1950). Estamos acostumados a ver filmes noir ambientados em Nova York ou, mais comumente, em San Francisco, mas New Orleans também é um ambiente perfeito para o noir. Nas poucas locações e nos muitos cenários construídos em estúdio, podemos ver a iluminação noir – com as cenas externas tendo um look bem natural.

While the credits role, and even before, when some people sing, we know the film is set in New Orleans. This city was also the set of noir like “Christmas Holiday” (1944), “The Spider” (1945) and mainly “Panic in the Streets” (1950). We are used to seeing noir movies set in New York or, more often, San Francisco, but New Orleans is also a perfect setting for noir. At the few location shootings and the many studio sets, we can see the noir lighting both– with the outside scenes looking very natural.


Danny foi o personagem que Elvis gostou mais de interpretar. De fato, “Balada Sangrenta” foi o filme em que Elvis mais mostrou suas habilidades de atuação. Seu talento e comportamento no set foram elogiados pelo diretor Michael Curtiz, que o chamou de “garoto adorável”, e pelo colega Walter Matthau, que disse “ele era muito elegante, contido, e refinado, e sofisticado”.

Danny was the character that Elvis liked the most to play. Indeed, “King Creole” is the film in which Elvis showcases the most of his acting abilities. His talent and behavior on set were praised by his director Michael Curtiz, who said Elvis was “a lovely boy”, and co-star Walter Matthau, who said “he was very elegant, sedate, and refined, and sophisticated”.


Michael Curtiz trabalharia novamente com Dolores Hart cinco anos mais tarde, em “Francisco de Assis” (1961). Ela fez mais quatro filmes nos anos 60 e deixou Hollywood para se tornar freira – o que faz da Irmã Dolores provavelmente a única freira a ter beijado Elvis. Ela tinha dúvidas sobre sua vocação religiosa desde 1959, quando visitou a Abadia Regina Laudis, e seu encontro com o Papa João XXIII durante as filmagens de “Francisco de Assis” confirmou sua vocação. Dolores nunca se arrependeu da decisão.

Michael Curtiz would work with Dolores Hart again five years later, in “Francis of Assisi” (1961). She did four more films in the 1960s and left Hollywood to become a nun – which probably makes Sister Dolores the only nun to have kissed Elvis. She had doubts about her religious vocation since 1959, when she visited the Regina Laudis Abbey, and her meeting with Pope XXIII during the shooting of “Francis of Assisi” sealed it. Dolores never regretted her decision.


Eu gosto de defender a tese de que, não importa se noir é um gênero ou um movimento, qualquer filme pode ter toques noir. “Balada Sangrenta” definitivamente tem estes toques. Além de uma trama incrivelmente complexa e emocionante, o filme trata de crime, amor, corrupção, gangues... e quem disse que não poderia haver música no meio disso tudo?

I like to defend the thesis that, no matter if noir is a genre or a movement, any film can have noir touches. “King Creole” definitely has those touches. Besides its incredibly complex and surprising plot, the film deals with crime, love, corruption, gangs… and who said there couldn’t be music in the middle of all this?

This is my contribution to the Dolores Hart blogathon, hosted by Virginie at The wonderful World of Cinema.


P.S.: Que outro musical eu consider noir? Vocês devem estar se perguntando, e eu responderei: eu considero que um número musical em particular em “A Roda da Fortuna” (1953) seja noir: o balé The Girl Hunt. Tudo de noir está ali: o detetive, a femme fatale, o crime, o amor fracassado... é um roteiro noir em forma de música.

P.S.: Which other musical do I consider noir? You may be making this question, and I’ll answer: I consider a particular musical sequence in “The Band Wagon” (1953) to be noir: the Girl Hunt ballet. Everything noir is there: the detective, the femme fatale, the crime, the doomed love… It’s a noir screenplay put into a song.  

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Carmen (1948) / The loves of Carmen (1948)


Quando falamos sobre Rita Hayworth e Glenn Ford, pensamos na dupla que protagoniza “Gilda”, de 1946. Mas eles fizeram outros filmes juntos, incluindo “Carmen”, produzido e dirigido por Charles Vidor – também diretor de “Gilda” – e filmado num belo Technicolor que ressaltou a beleza de ambos os astros.

When we talk about Rita Hayworth and Glenn Ford, we think of the duo in 1946’s Gilda. But they starred together in more movies together, including “The loves of Carmen”, produced and directed by Charles Vidor – also the director of Gilda – and shot in ravishing Technicolor that highlighted both their beauties.


Don Jose (Ford) é um novato vindo de Navarra. Ele chegou a Andaluzia para ser um soldado da guarda, e a primeira pessoa que ele conhece em seu primeiro dia é a provocante cigana Carmen (Hayworth). Assim como todos os ciganos, Carmen é desprezada pelos “cidadãos de bem” do local.

Don Jose (Ford) is a newcomer from Navarra. He has arrived in Andalucía in order to serve the guard, and the first person he meets in his first day is the provocative gypsy Carmen (Hayworth). Like all gypsies, Carmen is despised by the “good citizens” of the town.


Ela provoca Jose e ele fica caidinho por ela. Entretanto, ela não aceita o amor dele por causa de uma previsão de má sorte revelada nas cartas. Mas ela muda de ideia e faz com que Jose mate seu comandante em um duelo – sendo agora um fora da lei, resta a Jose seguir com Carmen e um grupo de ladrões rumo às montanhas, onde ele conhece o líder do grupo, García (Victor Jory), um homem que acaba de sair da prisão... e que por acaso é marido de Carmen.

She teases Jose and he falls for her. However, she won’t accept his love because of a bad omen revealed in the cards for her. But she changes her mind and arranges a duel for Jose to kill his commander - now an outlaw, Jose can only follow Carmen and her group of thieves to the mountains, where he meets the group leader, García (Victor Jory), a man who has just been released from prison... and who happens to be Carmen’s husband.


Antes da fuga, vamos a cidade espanhola recriada no estúdio sendo fotografada de maneira pouco inspirada, não tendo nada a ver com outros cenários europeus feitos em estúdio. Esta primeira metade do filme nos lembra de “Sangue e Areia” (1941), no qual um toureiro interpretado por Tyrone Power é seduzido por ninguém menos que Rita Hayworth. Em Hollywood, cidades espanholas e vilas latino-americanas são muito parecidas.

Before they run away, we see the Spanish city recreated in studio is photographed in an uninspired way, unlike other European sets built in studio. This first half of the movie reminds us of “Blood and Sand” (1941), in which a toreador played by Tyrone Power is seduced by none other than Rita Hayworth. In Hollywood, Spanish towns and Latin American villas are very much alike.


Na segunda metade, conforme o grupo foge pelas montanhas, temos a sensação de estarmos assistindo a um faroeste, com armadilhas, recompensas por um foragido, tropas perseguindo o grupo e muitos tiros disparados. Jose trocou de lado completamente e agora está roubando carruagens e se tornando mais violento a cada dia – não porque ele queira, mas porque precisa.

In the second half, as the group escapes through the mountains, we get the feeling that we are now watching a western, with traps, rewards for an outlaw, troops coming for our group and a lot of shootings. Jose traded places completely and is now stealing from stagecoaches and becoming more violent each day- not because he wants to, but because he has to.


É uma delícia ver Rita Hayworth cantando e dançando músicas folclóricas neste filme. Quando garota, sob seu nome verdadeiro, Rita Cansino, ela dançava profissionalmente, em uma dupla com o pai, Eduardo Cansino, que inclusive trabalhou em “Carmen” como coreógrafo. Ela dançava coreografias como as do filme desde pequena. O único ponto negativo é que ela é dublada ao cantar. A voz dela é dublada por Anita Ellis, que também a dublou em “Gilda”.

It’s delightful to see Rita Hayworth singing and dancing folk songs in this film. As a young girl, under her real name Rita Cansino, she danced for a living, making a duo with her father, Eduardo, who even worked here in “The loves of Carmen” as a choreographer. She had been performing dances like the ones in the film since a very early age. The only downside is that she is dubbed in the songs. Her singing voice is dubbed by Anita Ellis, who also dubbed her in “Gilda”.


Para o povo, Carmen é nojenta. Para a elite, ela é fonte de entretenimento, pois dança nas festas. Isso significa que ela é uma curiosidade para a sociedade, e nada mais. É um comportamento bem hipócrita. Carmen não é apenas uma excluída porque faz parte de um grupo nômade – os ciganos – ela também é vítima de preconceito porque é uma mulher livre que não pode “pertencer” a um homem só.

For the people, Carmen is disgusting. For the elite, she is source of entertainment when she dances at parties. That means that she is a curiosity for society, and nothing else. It’s a very hypocritical behavior. Not only Carmen is an outcast because she is part of a nomad group – the gypsies – she is also frown upon because she is a free woman that can’t “belong” to one man.


Um texto inicial cheio de preconceitos, chamando os ciganos de “uma raça infeliz”, mostra o pensamento que foi responsável pela perseguição de milhões de ciganos durante o Holocausto – ou melhor, o “Porajmos”. Sim, os ciganos rom têm seu próprio termo para a perseguição que sofreram dos nazistas – não há números oficiais, alguns historiadores estimam que 200 mil ciganos foram mortos em campos de concentração, e outros colocam a estimativa em 1,5 milhão. Hollywood não estava fazendo um favor a estas pessoas três anos após a queda de Hitler com tanto preconceito.

An opening text full of prejudice, calling the gypsies “an unhappy breed”, shows the mindset that was responsible for the persecution of millions of gypsies during the Holocaust – or better, the “Porajmos”. Yes, the Romani gypsies have their own word for the persecution they suffered under the Nazis – there are no official numbers, some historians estimate 200000 gypsies were killed in concentration camps, and other put the number up to 1,5 million. Hollywood wasn’t doing a favor to those people three years after Hitler’s fall with so much prejudice.


Se refletirmos um pouco, “Carmen” tem algumas coisas em comum com “Gilda”: a protagonista sedutora, o protagonista que é bobo no começo mas fica mais durão e ciumento por causa de uma mulher, muitas traições, o fatalismo que paira sempre no ar. “Carmen” só se difere por causa do cenário e do Technicolor, os elementos da história são os mesmos. Eu não estou falando que “Carmen” é um filme noir: eu estou dizendo que as histórias do noir bebem de uma fonte universal.

If we think a little, “The loves of Carmen” has some things in common with “Gilda”: the seductive leading lady, the leading man who is at first silly then becomes tougher and more jealous because of a woman, the many betrayals, and the fatalism that is all over. “The loves of Carmen” is different only for its setting and the Technicolor, the story elements are the same. I’m not saying that this film is noir: I’m saying that the noir stories drink from a universal fountain.


“Carmen” certamente se beneficia da química entre os protagonistas. Entretanto, não é tão interessante quanto outras versões da mesma história, como “Carmen Jones”, de 1954. Mas pelo menos podemos ver Glenn Ford mais bonito que nunca e Rita Hayworth dançando danças espanholas.

“The loves of Carmen” certainly profits from the chemistry the two leads have. However, it’s not as interesting as other versions of the same story, like “Carmen Jones”, from 1954. But at least we are able to see Glenn Ford more handsome than ever and Rita Hayworth dancing Spanish songs.  

This is my contribution to the 100 Years of Rita Hayworth blogathon, hosted by Michaela at Love Letters to Old Hollywood.

domingo, 14 de outubro de 2018

O legado de “Um Estranho Casal” / The lasting legacy of “The Odd Couple”


“Você é um Felix ou um Oscar?” Para algumas pessoas, esta questão não tem significado. Mas, para milhões de pessoas que conhecem a obra de Neil Simon, ela significa muito. Responder se você é Oscar ou Felix é como responder se sua personalidade é Tipo A ou Tipo B – diz tudo sobre você. Sim, é uma maneira reducionista de classificar as pessoas – em apenas dois grupos – mas se havia alguém capaz de criar personagens que representam todo tipo de gente, este alguém era Neil Simon.

Are you a Felix or an Oscar?” For some people, this question means nothing. But, for millions of people familiar with Neil Simon's work, it means everything. Answering if you are Oscar or Felix is like answering if you have Type A or Type B personality – it says all that is needed to know about you. Yes, it is a reductive way to classify people - in only two groups - but if there was someone who could create characters to represent all kinds of people, it was Neil Simon.
 
The Odd Couple by Al Hirschfeld
A peça “Um Estranho Casal” estreou em 1965. A inspiração para a peça é controversa. O jornal The Washington Post cita o divórcio do roteirista de TV Adam Bernstein, enquanto Mel Brooks alega que foi o seu primeiro divórcio que inspirou Neil Simon a escrever a peça. De qualquer maneira, aqui está a primeira informação importante sobre a peça: ela trata da vida após o divórcio – uma prática que só se tornou socialmente aceitável poucas décadas atrás.

The play “The Odd Couple” premiered in 1965. The inspiration for the play is controversial, however. The Washington Post cites the divorce of TV writer Adam Bernstein, while Mel Brooks alleges that it was his first divorce that inspired Neil Simon to write the play. Anyway, here it is the first important thing about the play: it was about life after divorce – a practice that only became socially accepted a few decades ago.
 
Neil Simon
A história é incrivelmente simples: Felix Ungar, um jornalista, tem de sair de casa durante o processo de divórcio e sua única opção é ficar no apartamento do amigo Oscar Madison, um jornalista esportivo divorciado. O problema é que Felix e Oscar são completamente diferentes. Para Felix, o copo sempre está meio vazio, e há sempre algo que precisa ser limpo. Para Oscar, o copo está meio cheio, e não há problema em viver em meio a um pouco de caos.

The plot is incredibly simple: Felix Ungar, a newswriter, gets thrown out of his house by his wife and his only option is to go live with his friend Oscar Madison, a divorced sportswriter. The problem is that Felix and Oscar have completely different approaches to life. For Felix, the glass is always half empty, and there is also something to be cleaned. For Oscar, the glass is half full and there is no problem about living among some chaos.
 
Art Carney and Walter Matthau on Broadway
A peça ganhou quatro prêmios Tony, e os direitos de adaptação foram comprados pela Paramount. Neil Simon escreveu o roteiro, Walter Matthau voltou a interpretar Oscar após ganhar um Tony por sua performance, e Jack Lemmon veio interpretar Felix – que era feito por Art Carney no teatro. O filme foi dirigido por Gene Sacks, enquanto a peça foi dirigida por Mike Nichols.

The play won four Tonys, and its adaptation rights were bought by Paramount. Simon adapted the play into an screenplay, Walter Matthau reprised his Tony-winning role as Oscar and Jack Lemmon was brought to play Felix – it was Art Carney who originally played the character on the stage. The film was directed by Gene Sacks – while the play was directed by Mike Nichols.


A adição de Jack Lemmon foi maravilhosa. Felix é meu personagem favorito em “Um Estranho Casal”, e ele é a estrela das cenas que se passam fora do apartamento – cenas estas que foram escritas exclusivamente para o filme. Felix é neurótico e maluco por limpeza, e seu comportamento enlouquece Oscar. Seja durante um jogo de pôquer entre amigos ou durante um encontro com as irmãs Pigeon, Felix mostra que não se esqueceu da esposa, e que sua obsessão com limpeza pode ser uma tentativa de colocar as coisas em ordem em sua vida novamente.

The addition of Jack Lemmon was a marvelous one. Felix is my favorite of “The Odd Couple”, and he is the star of the scenes outside the apartment – scenes that were written exclusively for the film. Felix  is neurotic and crazy about tidiness, and his behavior drives Oscar insane. May it be during poker nights with their mutual friends or during a double date with the peculiar Pigeon sisters, Felix shows that he hasn't forgotten his wife, and his cleaning obsession may be a way of trying to put things back together in his life.


A próxima parada de “Um Estranho Casal” era a televisão, com Tony Randall como Felix e Jack Klugman como Oscar. Esta versão durou cinco temporadas, e só na última Neil Simon expressou aprovação frente a adaptação. Em 1982, a sitcom foi refeita, com Ron Glass como Felix e Demond Wilson como Oscar. E, finalmente, em 2015, houve uma nova versão para a TV, com Thomas Lennon como Felix e Matthew Perry como Oscar.

“The Odd Couple” was headed next for television, with Tony Randall as Felix and Jack Klugman as Oscar. This iteration lasted five seasons, and only by the last one Neil Simon expressed approval of the adaptation. In 1982, the sitcom was remade, with Ron Glass as Felix and Demond Wilson as Oscar. And, finally, in 2015 there was a new TV version, with Thomas Lennon as Felix and Matthew Perry as Oscar.
 
1970s
1980s
2010s
Quando a sitcom de 1975 acabou, a coisa mais psicodélica e típica dos anos 70 aconteceu: uma adaptação animada de “Um Estranho Casal”. Em “The Oddball Couple”, o arrumadinho Spiffy, um gato, e o bagunceiro Fleabag, um cão, dividem a casa, o carro e o escritório – eles dividem tudo tão perfeitamente que estas coisas todas são metade arrumadas e metade bagunçadas. Obviamente, eles não eram divorciados, apenas colegas de quarto. A série teve 16 episódios de meia hora cada.

As the 1975 sitcom ended, the most psychedelic and 1970s thing possible happened: a CARTOON adaptation of “The Odd Couple”. In “The Oddball Couple”, the orderly Spiffy, a cat, and the messy Fleabag, a dog, share a house, a car and an office – they share those things so perfectly that exactly half of each of these is neat, and half is messy. Of course, they were not divorced, only roommates. The cartoon had 16 half-hour episodes.


Neil Simon também fez algo para as garotas. Em 1985, ele escreveu “The Female Odd Couple”, que tinha basicamente a mesma história, mas com a ordeira Florence Ungar e a desleixada Olive Madison. Na Broadway, Florence foi interpretada por Sally Struthers e Olive por Rita Moreno. As irmãs Pigeon foram substituídas pelos irmãos Costazuela, e um deles foi interpretado por Tony Shalhoub, em sua estreia na Broadway. A peça encerrou após 295 performances e foi remontada algumas vezes.

Neil Simon also had something for the girls in store. In 1985, he wrote “The Female Odd Couple”, which had basically the same plot, but now starring tidy Florence Ungar and sloppy Olive Madison. On Broadway, Florence was played by Sally Struthers and Olive by Rita Moreno. The Pigeon sisters were  replaced by the Costazuela brothers, and one of them was played by Tony Shalhoub in his Broadway debut. The play closed after 295 performances and was revived a few times.


Não há dúvida de que a versão com Lemmon e Matthau é a definitiva, e a mais amada pelos fãs. É por isso que foi feita uma sequência, trinta anos após a estreia do filme original, e o roteiro foi escrito pelo próprio Neil Simon – diz-se que o autor trabalhou neste roteiro por dez anos.

There is no doubt that the Lemmon / Matthau version is the definitive one, and the most cherished by the fans of the story. That's why they even made a sequel, thirty years after the original premiered, and the screenplay was written by Neil Simon himself – who is said to have worked ten years on this sequel idea.


Duas queridas do público são as irmãs Pigeon. No filme de 1968 elas são interpretadas por Monica Evans (Cecily) e Carole Shelley (Gwendolyn), ambas vindas da montagem original da Broadway. Elas voltaram a trabalhar juntas na sitcom de “Um Estranho Casal” em 1970 e depois dublaram ambas personagens animadas em “Aristogatas” (1970) – as irmãs gansas Abigail e Amelia – e em “Robin Hood” (1973) – com Monica fazendo Maid Marian e Carole Lady Cluck.

Two favorites of the public are the Pigeon sisters. In the 1968 movie they are played by Monica Evans (Cecily) and Carole Shelley (Gwendolyn), both coming from the original Broadway production. They worked together again in the sitcom “The Odd  Couple” in 1970 and then voicing animated characters in “The Aristocats” (1970) – the geese sisters Abigail and Amelia – and in “Robin Hood” (1973) – with Monica Evans voicing Maid Marian and Carole Shelley voicing Lady Cluck.


É interessante notar que Neil Simon escolheu chamar os amigos que vivem juntos de “casal”. Assim como um casal, eles dividem o mesmo teto. E, como um casal, Felix e Oscar discutem, brigam, discordam, mas também aprendem um com o outro, e mudam um ao outro. É por isso que a história ainda nos toca: todos nós temos um pouco de Felix e de Oscar dentro de nós.

It's interesting to notice how Neil Simon chose to call the two friends who live together a “couple”. Like a couple, they do live under the same roof. And, like a couple, Felix and Oscar argue, fight, disagree, but they also learn with each other, and change each other. That's why we the story still resonates with us: we all have a little of both Felix and Oscar in us.

This is my contribution to the Neil Simon blogathon, hosted by Paddy and Rick at Caftan Woman and Wide Screen World.


sábado, 6 de outubro de 2018

Coração Prisioneiro (1949) / Caught (1949)


Há muitas alegrias na vida de um cinéfilo. Uma delas é descobrir grandes atores, como James Mason, e atrizes subestimadas, como Barbara Bel Geddes. Outro prazer é rever bons filmes. Algumas vezes, nós – e isso acontece muito comigo – investimos tanto tempo em ver MAIS filmes que não gastamos tempo suficiente para apreciar bons filmes, e acabamos nos esquecendo deles com o tempo. Isso aconteceu recentemente com “Coração Prisioneiro”: eu já o havia visto com a turma da hashtag #BNoirDetour, mas me lembrava muito pouco dele.

There are many joys in loving movies. One of them is discovering great actors, like James Mason, and underrated actresses, like Barbara Bel Geddes. Another pleasure is rewatching good movies. Sometimes we – and I'm guilty of this – are so invested in watching MORE movies that we don't appreciate a good movie enough, and end up forgetting it completely with time. It happened recently with “Caught”: I had watched it with the #BNoirDetour gang, but remembered very little about it.


Você estudou na Escola de Charme de Dorothy Dale? Eu também não – e deve ser por isso que eu sou solteira e trabalho como freelancer. Porque nossa heroína, Leonora (Barbara Bel Geddes) estudou lá, e a escola a recomendou para um trabalho como modelo – quer dizer, como manequim de carne que deve usar um casaco de vison para que mulheres de nariz empinado e homens repulsivos possam apreciar o produto.

Have you attended Dorothy Dale's School of Charm? Neither have I – and that's must be the reason why I'm single and have an odd job. Because our girl, Leonora (Barbara Bel Geddes) has been there, and at the school she was recommended for a job as a model – which is basically serve as a flesh mannequin wearing a mink coat for stuck-up rich ladies and creepy men to look at.


Leonora é convidada para uma festa em um iate pelo repulsivo Franzi Kartos (Curt Bois), e pensa em não aceitar o convite. Sua colega de quarto a chama de antiquada e Leonora decide ir. Quando ela chega ao porto, o iate já zarpou, mas alguém está voltando em um barquinho: é o chefe de Kartos e dono do iate, o milionário Smith Ohlrig (Robert Ryan). Ele dá uma carona para Leonora, e ela não aceita entrar na mansão dele para ficar... mais confortável. Então, ao discutir o episódio com seu psiquiatra, Ohlrig impulsivamente decide se casar com Leonora para provar que o médico está errado. Será que esse casamento pode dar certo?

Leonora is invited to a yacht party by the creepy Franzi Kartos (Curt Bois) and is reticent to accept the invitation. Her roommate calls her old-fashioned and Leonora decides to go. When she reaches the harbor, the yacht has already sailed, but someone is coming back in a boat: it's Kartos's boss and the owner of the yacht, millionaire Smith Ohlrig (Robert Ryan). He gives her a car ride and she doesn't accept to enter his house to do... something else. Then, when discussing the episode with his psychiatrist, Ohlrig impulsively decides to marry Leonora to prove the doctor wrong. Can this marriage ever go right?


O romance é visto como um moderno conto da Cinderela pela imprensa – aliás, os colunistas sociais têm uma prosa incrivelmente machista. Leonora agora vive em uma linda casa, mas está infeliz. Ela e Ohlrig não passam tempo juntos, e ela precisa tomar remédios para dormir. Ela não pode visitar sua família e amigos, e o repulsivo Kartos é sua única companhia – e ele a chama de “mesquinha” por ela querer que o marido lhe dê atenção!

The love story is seen as a modern Cinderella story by the press – by the way, the social columnists are incredibly sexist in their prose. Leonora now lives in a beautiful house, wears only the best clothes and is covered by jewels, but she is unhappy. She and Ohlrigh don't spend time together, and she has to take sleeping pills. She hasn't seen her family or friends, and creepy Kartos is her only constant companion – and he calls her “greedy” because she wants her husband to pay attention to her!


Smith Ohlrig é um complete idiota – e o personagem foi baseado em Howard Hughes! Ohlrig insulta a esposa na frente dos amigos dele, e acredita que ela só está com ele por causa do dinheiro. Ele também tem pequenos ataques cardíacos sempre que não consegue o que deseja – o cúmulo de ser mimado. E obviamente ele tem um destes quando Leonora anuncia que vai arrumar um emprego que dê sentido à vida dela. E ela encontra mais do que sentido como secretária do pediatra Dr. Larry Quinada (James Mason).

Smith Ohlrig is just an idiot – and the character was based on Howard Hughes! Ohlrig insults his wife in front of his friends and thinks she is with him because of the money. He also has small heart attacks whenever he can't get what he wants – the climax of being spoiled. And of course he has one when Leonora announces that she will look for a job to give meaning to her life. And she finds more than meaning as the secretary to the pediatrician Dr Larry Quinada (James Mason).


O consultório é improvisado. A sala de espera tem todo tipo de cadeiras e sofás, para clientes muito simples. O consultório particular de Quinada também abriga uma pequena cozinha. Nos primeiros dias, Quinada dá bronca em Leonora, mas ela se esforça, melhora suas habilidades e até começa a auxiliar o médico em visitas aos pacientes. Em pouco tempo eles estão se encontrando fora do expediente, e Leonora está se divertindo como nunca – mas ela ainda é casada com Ohlrig, e esconde esta informação de Quinada.

The office is largely improvised. The waiting room has all kinds of chairs and sofas, for very simple clients. Quinada's actual office also has a small kitchen. In the first few days, Quinada is severe with Leonora, but she works hard, improves her skills and even starts helping the doctor when he visits his patients. Soon they are going on dates, and Leonora is having the time of her life – but she is still married to Ohlrig, and has hidden this info from Quinada.


Hoje falamos muito sobre relacionamentos abusivos, e vários filmes, séries e novelas tratam do tema. “Coração Prisioneiro” é também um filme sobre relacionamento abusivo. A maneira como Ohlrig trata Leonora é péssima, e depois que ele a maltrata, vem pedir desculpas, prometendo que aquilo nunca mais se repetirá... e quando ela o perdoa, ele a maltrata novamente. Um relacionamento abusivo existe neste ciclo.

Today we talk a lot about abusive relationships, and many movies, series and soap operas deal with the theme. “Caught” is also a film about an abusive relationship. The way Ohlrig treats Leonora is awful, and after he does that he asks for forgiveness, promises he will change... and when she forgives him, he does the same thing again. An abusive relationship exists in this cycle.


Barbara Bel Geddes era uma ótima atriz, mas tinha um grande defeito jogando contra ela no sistema de estúdio, que era tão obcecado pela imagem: ela não era uma beldade maravilhosa (ela me lembra da atriz moderna Jenna Boyd) – e não podia se tornar uma com maquiagem ou cirurgia plástica. Para Hollywood, ela tinha um rosto muito simples, comum, ordinário. Até em seu mais conhecido papel, o de Midge em “Um Corpo que Cai” (1958), sua característica principal é ser frígida e pouco desejável, e ela não tem tempo para mostrar seu talento.

Barbara Bel Geddes was a very good actress, but she had one big thing against her in the studio system, so crazy about the value of an image: she wasn't breathtakingly gorgeous (she reminds me of modern-day actress Jenna Boyd) – and she couldn't be made so by make-up or surgery. For Hollywood, she was plain-looking. Even in her best remembered role, as Midge in “Vertigo” (1958), her main characteristic is to be frigid and undesirable, and she has not enough time to show her skills.


“Coração Prisioneiro” foi o primeiro filme que James Mason fez em Hollywood. Ele seria originalmente o vilão, mas insistiu para trocar de papel com Robert Ryan, com medo de ficar estereotipado – ele havia interpretado muitos vilões na Inglaterra, como no excelente “O sétimo Véu” (1945). No fim das contas, o Dr. Larry Quinada se assemelha muito ao Norman Maine de “Nasce uma Estrela” (1954): aparentemente duro com a mocinha, mas fazendo isso para o bem dela, e também muito apaixonado.

“Caught” was the first film James Mason made in Hollywood. He was originally cast as the villain, but insisted on changing roles with Robert Ryan because he was afraid of being typecast – he had played many villains in England, like in the superb “Seventh Veil” (1945). In the end, Dr Larry Quinada is a lot like his Norman Maine from “A Star is Born” (1954): seemingly tough towards the lady, but doing this for her own good, and very much in love with her.


O diretor Max Ophüls, saindo do belo e triste “Carta de uma Desconhecida” (1948), faz outro trabalho brilhante e imprime toques de noir a “Coração Prisioneiro”. Apesar de menos conhecido na filmografia de todos os envolvidos – elenco e equipe – o filme é uma preciosidade que eu fiquei feliz de rever – e eu também fiquei feliz por nunca ter estudado na Escola de Charme de Dorothy Dale.

Director Max Ophüls, coming from the beautiful and heartbreaking “Letter from an Unknown Woman” (1948), does another great job and adds noirish touches to “Caught”. Although a lesser known film in the career of all the involved cast and crew, it’s a little gem that I was glad I revisited – oh, and I’m also glad I have never attended Dorothy Dale’s School of Charm.

This is my contribution to the James Mason blogathon, hosted by Maddy from Maddy Loves her Classic Movies.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...