Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O cinema em chamas

Um espírito pirotécnico às vezes invade diretores e roteiristas de cinema, criando grandes cenas em que desastres acontecem e grandes propriedades são queimadas. Além de acrescentarem imensa dramaticidade a qualquer filme, as cenas de incêndio são de difícil e meticulosa execução, consumindo longo tempo de planejamento e filmagem. Nada pode sair errado, e tamanha dedicação deu origem a cenas memoráveis. Extintores a postos e vamos lá!

E o vento levou / Gone with the Wind (1939): Talvez o mais conhecido de todos, o incêndio de Atlanta, em meio ao nascimento do filho de Melanie (Olivia de Havilland) e Ashley (Leslie Howard), quase enlouquece Scarlett (Vivien Leigh), que felizmente contou com a ajuda de Rhett (Clark Gable) para fugir. A própria filmagem causou frenesi, pois muitas pessoas ligavam para os bombeiros pensando que o estúdio estava queimando à revelia, enquanto na verdade o diretor Victor Fleming controlava as chamas que destruíam os cenários usados em “King Kong” (1933). 

Jane Eyre (1943): Tudo bem que um incêndio em preto-e-branco não tem muita graça, mas ele é de extrema importância nesta adaptação do romance de Charlotte Brontë. Não muito grandioso, mas igualmente destruidor: e lá se foi o castelo do Sr Rochester (Orson Welles).

Albuquerque (1948): Um pequeno incêndio acomete a empresa de fretes de John Armin (George Cleveland) e o principal suspeito de tê-lo provocado é seu sobrinho Cole (Randolph Scott). Cole vai preso, depois de um dos julgamentos mais rápidos da história do cinema, tão depressa quanto o próprio incêndio mixuruca.
 
Fúria Sanguinária / White Heat (1949): Cody Jarrett (James Cagney) tem o azar de chegar ao “topo do mundo” bem no meio de um incêndio em uma usina nuclear enquanto foge da polícia.

Quo Vadis (1952): O imperador Nero (Peter Ustinov) decide dar um fim nos cristãos e manda atear fogo na parte da cidade em que eles moram. Em meio às chamas, o soldado Marcus Vinicius (Robert Taylor) tenta desesperadamente salvar sua amada cristã, Lygia (Deborah Kerr).

Johnny Guitar (1954): Por uma série de motivos, Emma (Mercedes MacCambridge) coloca fogo no salão de sua rival Vienna (Joan Crawford) que já estava ameaçado pela construção de uma estrada de ferro. Mas Vienna não vai deixar barato, indo atrás de vingança no melhor estilo faroeste.

No caminho dos elefantes / Elephant Walk (1954): Uma mansão foi construída no caminho usado pelos paquidermes para conseguirem água. Depois de anos ameaçando derrubar a propriedade, os imensos animais não apenas o fazem como também causam um incêndio – e com Elizabeth Taylor dentro da casa!

O Mercador de Almas / The Long, Hot Summer (1957): Paul Newman tem um impulso piromaníaco que o deixou com péssima fama e o obrigou a procurar emprego numa cidadezinha em que tudo parece pertencer a Orson Welles.

O Homem que matou o facínora / The man who shot Liberty Valance (1962): Um pouco chateado com a vida e com a perda de sua namorada, Tom Doniphon (John Wayne) decide botar fogo na casinha que vinha construindo com muita dedicação e ficar lá dentro para ser consumido pelas chamas ou se deixar asfixiar pela fumaça.
Inferno na Torre / The Towering Inferno (1974): O arquiteto Doug Roberts (Paul Newman) está todo satisfeito com a inauguração do arranha-céu que ele projetou. Porém, na grande noite, seu medo se torna real quando o início de um incêndio denuncia a má construção do prédio. No elenco também estão  Steve McQueen, Fred Astaire, Robert Wagner, Jennifer Jones, William Holden e Faye Dunaway, entre outros.

12 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Sensacional, Lê. Só faltou SÃO FRANCISCO, A CIDADE DO PECADO.
Abraços,

O Falcão Maltês

Iza disse...

Oi Lê! A cena de Eo Vento Levou foi realmente inesquecível :) Na minha opinião é a mais famosa.

http://vintageiz.blogspot.com

beijos :)

Rosa Mattos disse...

Bom Dia, Lê!!

Excelente postagem. Algumas cenas ficarão pra sempre nas nossas memórias.

Você gosta de selinhos? Quero te oferecer meu selo 'este blog é show'. Está bem no final do meu blog.

beijos/boa semana!!
{t^ seguindo no google friends]

Sonhos Pré-Concebidos disse...

que legal o post
Obg pela visita lá no nosso blog, pode voltar sempre que quiser ok? Bjs, Nícia.

Duzentos e vinte disse...

Muito obrigada pela visita lá no meu blog !!!
Passa lá , tem novo post !!!
Mil beijos :)

Vivian disse...

Bom dia,Lê!

Adoro clássicos!!!Dos livros aos filmes!!!
E o vento levou... é um dos meus favoritos, e esta cena impressiona!E naquele tempo nem tinham todos os recursos tecnológicos que possuem hoje!!!
Beijos pra ti!
Obrigada pela visita!
Seja Bem-vinda!

Lidiany disse...

Olá Lê,adorei aqui e o Vento Levou, cena inesquecível..adoro esses clássicos. Obrigado pela amável visita. Lê aqui não tem a opção de NOME URL, então vim com essa conta do Google que não é a minha padrão.Bjus

http://belascoisas.zip.net

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Oi Lê, ótimo Post, Parabéns pela originalidade em criar o artigo. Realmente você se lembrou muito bem de grandes filmes como Fúria Sanguinária e O Homem Que Matou o Facínora,além obviamente dos já conhecidos como E o Vento Levou. Existe um filme com Tyrone Power Chamado "No Velho Chicago" que assisti na TV Band a muitos anos e inclusive o gravei em VHS, hoje não tenho mais essa fita e tbm não acho esse filme para comprar, mas pensa em uma cena de incêndio perfeita, afinal o filme retratava o grande incêndio de Chicago.

Abração

Mario disse...

Muy curioso el conjunto que has elegido, me parece muy creativo de tu parte, recuerdo Quo Vadis, la de Wayne y algo de la de infierno en la torre. Doniphon lo pierde todo y quema su sueño implacablemente, lo salva su amigo y sirviente, gran emotividad, impactante como siempre el duque. Besos.

Luciana Gomes disse...

Olá, amiga!! Passando p informar q já lançamos a 2ª etapa da promo Top Comentaristas! Estaremos sorteando brindes diversos a cada 2 ou 3 meses entre os seguidores q mais comentarem! Esse mês o prêmio foi um livro e quem ganhou foi a Sheyla, parceira Vou-de-Blog, e dona do blog http://blogdmulheres.blogspot.com/
Bjinhos.
Lu

www.voudeblog.com

Olga disse...

Letícia, já vi que vc tem excelente seguidores aqui, como o Antonio, um cinéfilo fenomenal...
Menina, vc tem certeza que não é minha filha? Porque meus genes de cinemeira vc bem tem. Dá uma olhada no Estantes cariocas, um dos meus blogs, que tem minha coluna sobre meu nascimento quase dentro do cinema. Vou linkar vc, tá?
beijo grande.

Rubi disse...

Ainda não tive a oportunidade de assistir todos os filmes citados, mas E o Vento Levou e O Homem Que Matou o Facínora são produções grandiosas e ambos tiveram cenas inesquecíveis.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...