Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sábado, 16 de março de 2019

A gloriosa Gloria Swanson / The Glorious Gloria Swanson


Assim como muitas pessoas, minha introdução à Gloria Swanson foi através de “Crepúsculo dos Deuses” (1950). Muitos espectadores, num primeiro momento, podem pensar que Norma Desmond é uma personagem autobiográfica – em especial porque seu mordomo e antigo diretor é interpretado por Erich von Stroheim, que dirigiu Swanson no final da era muda. Isso não podia estar mais longe da verdade: Swason viveu um dia de cada vez, sem se apoiar nas glórias do passado – e Gloria certamente teve muitas glórias.
  
Like most people, my introduction to Gloria Swanson was through “Sunset Boulevard” (1950). Many viewers at first may think that Norma Desmond is an autobiographical portrait of Swanson – even more so considering that her butler and former director is played by Erich von Stroheim, who did direct Swanson in the late years of the silent era. It couldn’t be more different: Swanson lived one day at a time, without reliving the glories of the past – and Gloria sure had many glories.


Gloria Swanson estreou nos cinemas fazendo comédias de curta-metragem a partir de 1914. Ela não foi creditada em alguns de seus primeiros papéis, como o da datilógrafa no início da comédia da Essanay “His New Job” (1915), com Charles Chaplin. Gloria havia feito o teste para ser a protagonista, mas Chaplin achou que ela não era a atriz certa para o papel e escolheu como protagonista a atriz Charlotte Mineau.

Gloria Swanson entered the motion picture world making short slapstick comedies starting in 1914. Some of her early roles were uncredited bit parts, like the stenographer in the beginning of the Essanay comedy “His New Job” (1915), with Charles Chaplin. Gloria had auditioned for the lead role, but Chaplin thought she wasn’t right for the part and chose actress Charlotte Mineau instead.
 
Gloria Swanson in "His New Job" (1915)
Logo Gloria se juntou às “Bathing Beauties” de Mack Sennett. Ela trabalhou com Bobby Vernon em diversos curtas-metragens para os estúdios Keystone e Triangle. Um deles é “The Danger Girl” (1916). Nele, Gloria interpreta uma garota travessa que se veste de homem para separar sua rival de seu amor, Bobbie. Outro destes filmes é “The Sultan’s Wife” (1917, também conhecido como “Caught in a Harem”). Nele, Bobby e Gloria são namorados que decidem se casar durante uma viagem à Índia. O macaquinho de estimação dela entra no palácio do Rajá e o Rajá acaba capturando-a para seu harém. Bobby vai resgatá-la – e mais uma vez temos pessoas travestidas!

Soon Gloria became one of the Mack Sennett’s Bathing Beauties. She was paired with Bobby Vernon in several short films for Keystone and Triangle. One of them is “The Danger Girl” (1916). In it, Gloria plays a madcap girl who dresses as a man in order to take her rival away from her sweetheart, Bobbie. Another one is “The Sultan’s Wife” (1917, also called “Caught in a Harem”). In it, Bobby and Gloria are sweethearts who decide to elope during a trip to India. Her pet monkey enters the Rajah’s palace and the Rajah ends up holding her captive in his harem. Bobby goes to her rescue - and there is cross dressing again!

"The Danger Girl" (1916)

"The Sultan's Wife" (1917)
Também em 1917 temos “Teddy at the Throttle”, uma paródia dos melodramas da década de 1910. Nele, o tutor de Gloria (Wallace Beery, então marido da atriz) tenta separar Gloria e Bobbie para ficar com a herança dela. Num ato desesperado, o personagem de Beery amarra Gloria aos trilhos do trem – algo que, ao contrário do que se acredita, era raro no cinema mudo. O Teddy do título é Keystone Teddy, a estrela canina que também apareceu em “The Sultan’s Wife” como um herói de quatro patas. O clímax do curta-metragem inclui uma edição elaborada que lembra as sequências entrelaçadas por D.W. Griffith em “Intolerância” (1916). 

Also from 1917 there is “Teddy at the Throttle”, a parody of the 1910s melodramas. In it, Gloria’s guardian (Wallace Beery, then her real husband) tries to break Gloria and Bobbie up in order to keep her money for himself. As a desperate act, Beery’s character ties Gloria to the train tracks - something that, contrary to popular belief, was rare in silent film. The Teddy of the title is Keystone Teddy, the canine star that also appeared in “The Sultan’s Wife” as a four-legged hero. The climax of the short film includes intricate editing that resembles D.W. Griffith’s cross-cutting sequences in films like “Intolerance” (1916).


Em 1918 Swanson começou outra parceria: desta vez, com o diretor e produtor Cecil B. DeMille. Um dos filmes que eles fizeram nesta época foi o suntuoso “Macho e Fêmea” (1919). Nele, Gloria interpreta Lady Mary Lasenby, uma herdeira mimada de uma família de Londres. Seu mordomo, Bill Crichton (Thomas Meighan), é apaixonado por ela, e a empregada dela, Tweeny (Lila Lee), é apaixonada por Crichton. Obviamente, Lady Mary e Crichton não podem ficar juntos por causa das regras observadas pela alta sociedade.

In 1918 Swanson started another partnership: this time, with director and producer Cecil B. DeMille. One of the films that they made in this period is the lavish “Male and Female” (1919). In it, Gloria plays Lady Mary Lasenby, a spoiled heiress from a London family. Her butler, Bill Crichton (Thomas Meighan), is in love with her, while her maid, Tweeny (Lila Lee), is in love with Crichton. Of course, Lady Mary and Crichton can’t be together thanks to the unwritten rules of high society.


As leis da lata sociedade são severas, mas e a lei da selva? Depois que o barco deles afunda, a família de Lady Mary, mais Crichton e Tweeny, ficam isolados em uma ilha deserta, onde tudo pode acontecer – até mesmo a inversão de papéis hierárquicos. Este filme, que tem inclusive uma sequência na Babilônia – como uma história dentro da história – foi escolhido o melhor filme de 1919 pelos leitores de uma revista brasileira chamada A Scena Muda – a mesma revista que me forneceu o material para reconstruir o filme perdido de Lon Chaney, “O Homem Miraculoso”.
 
High society laws are strict, but what about the law of the jungle? After their boat sinks, Lady Mary’s whole family, plus Crichton and Tweeny, become stranded in a desert island, where everything can happen - even reversing hierarchical roles. This film, that even has a sequence set in Babylon - like a story within the main story - was voted the best of 1919 by the readers of a Brazilian magazine called A Scena Muda - the same magazine that gave me material to reconstruct Lon Chaney’s lost movie “The Miracle Man”.


Na Paramount em 1925, Gloria fez a doce comédia romântica “Este Mundo é um Teatro”. Nele, ela interpreta Jenny Hagen, uma garçonete apaixonada pelo colega de trabalho Orme (Lawrence Gray), que tem uma preferência por atrizes. Para que ele se apaixone por ela, Jenny faz um curso de atuação por correspondência e se junta a uma trupe em um espetáculo em um barco. Este filme tem algumas sequências fabulosas em two-strip Technicolor. Este é um filme peculiar, que vai do exuberante à comédia interiorana. De qualquer maneira, Gloria Swanson é convincente como uma diva do teatro e como uma simples sonhadora.

At Paramount in 1925, Gloria did the sweet romantic comedy “Stage Struck”. In it, she is Jenny Hagen, a waitress in love with her coworker Orme (Lawrence Gray), who has a thing for actresses. In order to make him fall in love with her, she takes a correspondence course in acting and joins an act in a show boat. This film has some fabulous sequences in two-strip Technicolor. This is an odd film, that goes from exuberant to countryside comedy. Anyway, Gloria Swanson is convincing as a theater diva and as a simple dreamer.


Mais poderosa do que nunca, no final dos anos 20 Gloria Swanson começou a produzir seus próprios filmes, que mais tarde seriam distribuídos pela United Artists. Um destes filmes é o maldito “Minha Rainha”. Ele começou a ser filmado em 1928, com o roteirista e diretor Erich von Stroheim tendo liberdade total para criar um filme que deveria ter cinco horas de duração. Entretanto, apenas um terço do material foi filmado e hoje a versão mais completa tem apenas 100 minutos.

More powerful than ever, in the late 1920s Gloria Swanson started producing her own films, that would later be distributed by United Artists. One of those films is the cursed “Queen Kelly”. It started being shot in 1928, with screenwriter and director Erich von Stroheim having total freedom to create a film that was supposed to be five hours long. However, only a third of the material was shot and nowadays the most complete version we have runs only 100 minutes.


Patricia Kelly (Swanson) é uma órfã que vive num convento. Um dia, durante uma caminhada com outras órfãs, ela é vista pelo Príncipe Wolfram (Walter Byron), que está prestes a se casar com a louca Rainha Regina V (Seena Owen). O Príncipe resolver queimar o convento (!!) para ver Kelly novamente, mas ela é expulsa do palácio por uma irada Rainha Regina. De volta ao convento, Kelly descobre que sua tia está prestes a morrer, e que o último desejo dela é ver Kelly casada com o nojento Jan (Tully Marshall).  Embora a primeira metade seja mais focada no Príncipe e tenha Seena Owen brilhando como a Rainha, as cenas com Kelly conhecendo o horrível Jan estão entre as cenas interpretadas com mais primor por Swanson.

Patricia Kelly (Swanson) is an orphan living in a convent. One day, during a walk with other orphans, she is spotted by Prince Wolfram (Walter Byron), who is about to get married to the insane Queen Regina V (Seena Owen). The Prince manages to burn down (!!) the convent to see Kelly again, but she is expelled from the palace by an irate Queen Regina. Back at the convent, Kelly learns that her aunt is about to die, and that the old lady’s last wish is for her to marry the disgusting Jan (Tully Marshall). Although the first half is more focused on the Prince and has Seena Owen shining as the Queen, the scenes with Kelly getting to know the disgusting Jan are among the finest scenes performed by Swanson.


Eu vi muito pouco da filmografia de Gloria Swanson. De acordo com o Letterboxd, eu vi 14% dos filmes que ela fez – em uma carreira que durou quase 60 anos. Não vi seus primeiros filmes falados dos anos 30, mas ao ver seus filmes mudos, feitos entre 1915 e 1929, eu pude perceber muitas coisas. Eu percebi que Gloria era incrível tanto em comédia quanto em drama – ela tinha um talento natural para interpretar qualquer coisa no cinema. Mesmo depois de aparecer glamourosa nas “comédias de divórcio” de DeMille, ela era capaz de voltar atrás e interpretar uma garota ingênua com tanta perfeição que era impossível que não torcêssemos por ela. Ela também tinha um perfil maravilhoso e, como sua melhor característica, lindos olhos que podiam expressar qualquer emoção e hipnotizar o público. E, sim, Sr. DeMille: ela estava sempre pronta para seu close.

I have barely scratched Gloria Swanson’s filmography. According to Letterboxd, I have seen 14% of all the films she did – in a career that lasted nearly 60 years. I haven’t watched her early talkies from the 1930s, but by watching her silents, made in a 14-year period, I could see many things. I saw that Gloria was amazing in both drama and comedy - a natural talent for anything in the screen. Even after being glamorous in DeMille’s “divorce comedies”, she could go back and play an ingénue with so much perfection that we had to root for her. She also had a fabulous profile and, as her best feature, piercing eyes that could convey any emotion and hypnotize the public. And, yes, Mr. DeMille: she was always ready for her close-up.

This is my contribution to the Second Marathon Stars blogathon, hosted by Samantha, Crystal and Virginie at Musings of a Classic Film Addict, In the Good Old Days of Classic Hollywood and The Wonderful World of Cinema.


domingo, 10 de março de 2019

O Solar Maldito (1960) / House of Usher (1960)


Há poucas coisas melhores que um bom filme de terror. E não há quase nada melhor que uma boa adaptação de uma das aterrorizantes histórias de Edgar Allan Poe. Poe é um dos meus autores favoritos, e sua obra encontrou um lugar perfeito nas mãos do diretor e produtor Roger Corman e de seu colaborador, o roteirista Richard Matheson – uma parceria que surgiu com “O Solar Maldito” (1960).

There are few things better than a good horror movie. And there are almost no things better than a good adaptation of one of Edgar Allan Poe’s chilling stories. Poe is one of my favorite writers, and his work found a perfect place in the hands of director and producer Roger Corman and his collaborator, screenwriter Richard Matheson – a fruitful partnership that started with “House of Usher” (1960).


Philip Winthrop (Mark Damon) chega ao solar maldito à procura da senhoria Usher, sua noiva. O mordomo Bristol (Harry Ellerbe) diz a Winthrop que a senhoria Usher está muito doente e, confuso, Winthrop entra na casa. Lá, ele encontra Roderick Usher (Vincent Price) e sua amada Madeline Usher (Myrna Fahey). Roderick diz a Winthrop que ele e a irmã estão prestes a morrer, e ele está sofrendo de estágios iniciais de loucura.

Philip Winthrop (Mark Damon) arrives at the House of Usher looking for Miss Usher, his fiancée. The butler Bristol (Harry Ellerbe) tells Winthrop that Miss Usher is very ill and, confused, Winthrop enters the house. There, he meets Roderick Usher (Vincent Price) and his beloved Madeline Usher (Myrna Fahey). Roderick tells Winthrop that both him and his sister are about to die, and he in special is suffering from the early stages of madness.


Winthrop fica no solar maldito como hóspede, e lá ele vê fenômenos estranhos – como a casa que literalmente está caindo abaixo – e percebe que Madeline está sob a vigilância de Roderick o tempo todo. Roderick também conta a Winthrop sobre a maldição que paira sobre o solar maldito e sobre todos da família.

Winthrop stays at the House of Usher as a guest, and there he witnesses weird phenomena – like the house literally falling apart – and sees that Madeline is under Roderick's  vigilance all the time. Roderick also tells Winthrop about the spell that affects the House of Usher and all people in the family.


“A Queda da Casa de Usher” é um conto de Edgar Allan Poe publicado em 1839. No conto, contado em primeira pessoa por um narrador nunca identificado, o narrador é na verdade um amigo de infância de Roderick Usher que foi chamado por Usher para ajudá-lo durante sua doença. Madeline aparece brevemente no conto. E não há nenhum mordomo no conto – mas todas as casas sinistras precisam de um mordomo, não?

“The Fall of the House of Usher” is a short story by Edgar Allan Poe published in 1839. In the original story, told by Winthrop's point of view – even though we never get to know the narrator's real name – the narrator is actually Roderick Usher's childhood friend who was called by Usher himself to help him during his illness. Madeline appears very briefly in the short story. There is also no butler in the short story – but all sinister houses need a butler, right?


O roteirista Richard Matheson adicionou o personagem Philip Winthrop e inventou uma história de amor entre ele e Madeline por razões cinematográficas – o público em geral prefere ver filmes com romance na trama. Par ser justa, “O Solar Maldito” tem elementos que vão agradar a todos: romance, suspense e muito horror. Matheson também trabalhou com Roger Corman em “Mansão do Terror” (1961), “Muralhas do Pavor” (1962) e “O Corvo” (1963).

Screenwriter Richard Matheson added Philip Winthrop and created a love story between him and Madeline for cinematic purposes – moviegoers are usually more willing to watch films with romance in the plot. To be fair, “House of Usher” has a little for everybody: romance, suspense and a lot of horror. Matheson would work with Corman also in “The Pit and the Pendulum” (1961), “Tales of Terror” (1962) and “The Raven” (1963).


As histórias de Edgar Allan Poe foram feitas para o cinema colorido? Se considerarmos que as mais icônicas adaptações de sua obra literária foram feitas por Roger Corman e filmadas em Technicolor, temos de concordar. Claro, talvez você precise de algum tempo para se acostumar com Vincent Price com o cabelo pintado de loiro em “O Solar Maldito” – mas depois disso você poderá apreciar todas as cores da mansão e também uma assustadora sequência de pesadelo que vai trocando os filtros das cores para um efeito noturno.

Were Edgar Allan Poe's stories meant to be shot in color? If we consider that the most iconic adaptations of his literary work were made by Roger Corman and shot in Technicolor, we can't help but agree. Of course, you may need some time to get used to seeing Vincent Price with his hair dyed blonde in “House of Usher” – but then you are able to enjoy all the colors of the mansion and also a terrifying nightmare sequence that changes color filters for a night effect.


Assim como em “Rebecca” (1940), no qual a mansão Manderlay é também uma personagem do filme, em “O Solar Maldito” a casa é importante para a trama. A família, assim como a casa, está prestes a desmoronar, e cada tremor causado por uma fenda gigante na parede da casa adiciona suspense ao filme. Como diz Roderick, a casa tem, gravadas nas suas pedras, cada má ação feita por alguém da família Usher.

Just like in “Rebecca” (1940), in which the Manderlay mansion is also a character in the film, in “House of Usher” the house is important to the plot. The family, like the house, is about to collapse, and every single tremor caused by a massive fissure in the walls of the house adds suspense to the film. As Roderick says, the house has now every evil done by an Usher engraved in its stones.


Vincent Price é absolutamente brilhante em “O Solar Maldito”. Ele interpreta o perturbado Roderick de maneira que nós sentimos pena dele e ao mesmo tempo temos medo dele. Em sua mais profunda agonia, Roderick grita e delira, e Price faz tudo isso de maneira convincente.

Vincent Price is absolutely brilliant in “House of Usher”. He plays the deeply disturbed Roderick in a way that makes us feel pity for him and at the same time fear him. In his deepest agony, Roderick screams and becomes delirious, and Price does all that in a convincingly way.


Embora tenham sido feitas muitas mudanças no conto original, “O Solar Maldito” é sem dúvida a primeira obra-prima de Roger Corman. Filmado em apenas 15 dias e com cenários improvisados, o filme é um trinfo cinematográfico – e um triunfo do gênero do horror, que logo experimentaria sua renascença.

Although there were major changes to the original story, “House of Usher” is without a doubt Roger Corman’s first masterpiece. Shot in only 15 days and with improvised sets, it is a triumph of the film world – and a triumph of the horror genre that was about to experience a renaissance.

This is my contribution to the Richard Matheson blogathon, hosted by Rich and Debbie at Wide Screen World and Moon in Gemini.


domingo, 3 de março de 2019

Colaboradores e amigos: Robert Riskin e Frank Capra / Collaborators and friends: Robert Riskin and Frank Capra


Quando falamos de duplas dinâmicas do cinema, em geral nos referimos a uma dupla de director e intérprete (ator ou atriz) – como William Wyler e Bette Davis, por exemplo – mas raramente focamos em colaborações entre diretores e roteiristas. Na verdade, algumas parcerias firmadas por trás das câmeras mudaram o cinema para sempre.

When we talk about dynamic duos of the silver screen, we often talk only about director and actor/actress duo – like William Wyler and Bette Davis, for instance – but we rarely focus on director / screenwriter collaborations. Actually, some partnerships made behind the cameras have changed cinema forever.


Frank Capra e Robert Riskin se conheceram em 1931 e trabalharam juntos por uma década. Frank e “Bob” eram parceiros e amigos, em uma relação simbiótica que nem sempre foi pacífica. De fato, muitos dos temas que consideramos como parte do “toque de Capra” só estiveram presentes em seus filmes porque primeiro Riskin os inseriu no roteiro.

Frank Capra and Robert Riskin met in 1931 and worked together for a decade. Frank and “Bob” were partners and pals, in a symbiotic relationship that was not always peaceful. Indeed, many of the themes that we consider being part of the “Capra touch” were only present in his films because Riskin first wrote them in the screenplay.


Em sua autobiografia, “The Name Above the Title”, Capra escreveu isso sobre Riskin:

In his autobiography, “The Name Above the Title”, Capra wrote about Riskin:

“Se o acaso sorri, um escritor pode se juntar com um homem que faz seus próprios filmes. Se a parceria é simbiótica e bem-sucedida, a experiência pode ser muito recompensadora: artisticamente, economicamente e como um bônus para o ego. Assim foi minha longa parceria com Robert Riskin. Foi preciso uma guerra para nos separar. Bob era um bom escritor, um cara simpático. Elegante, espirituoso como poucos, ele amava a vida, esportes e mulheres – e vice-versa. Nós tínhamos muitas coisas em comum, mas duas eram especiais: (1) nossos crânios vibravam com a massagem da mesma cabeleireira (nós gastamos fortunas em remédios para curar a calvície – e fizemos uma descoberta estarrecedora: carecas não têm caspa) e (2) nosso senso de humor vibrava no mesmo tom.
 Nós trabalhamos juntos em roteiros, construindo a partir das ideias um do outro. Éramos ambos criadores e público. Eu ficava um passo à frente dele, pensando nas próximas cenas que, quando chegássemos a um consenso, ele colocaria no formato de roteiro. E nunca houve melhor ‘orelha’ para a palavra falada que a de Riskin.”

Robert Riskin, May Robson, Frank Capra
“If serendipity smiles, a writer may team up with a man who makes his own films. If the team-up is symbiotic and successful, the experience can be very rewarding: artistically, economically, and as a lagniappe for the ego. Such was my long team-up with Robert Riskin. It took a war to break us up. Bob was a fine writer, a simpatico man. Natty, witty as they come, he loved life, sports and women – and vice versa. We had many things in common, but two stood out: (1) our skulls vibrated to the same hair-lady’s massage (we spent fortunes on nostrums to cure baldness – and made a startling discovery: cueballs have no dandruff), and (2) our funnybones vibrated to the same tuning fork in humor.
We worked together on scripts, sparking and building on each other’s ideas. We were both creators and audiences. I stayed ahead of him, thinking up the next batch of scenes which, when agreed upon, he would put into dialogue script form. And never was there a better ‘ear’ for the spoken word than Riskin’s.”
 
Frank Capra, Lou Capra, Robert Riskin
A primeira colaboração deles não foi realmente uma colaboração. Digo isso porque o filme “A Mulher Miraculosa” (1931), foi baseado em uma história escrita por Riskin, sob o título “Bless You Sister”, mas Riskin não esteve envolvido na adaptação para o cinema. Este foi o único fracasso de bilheteria no tempo em que Capra trabalhou para a Columbia, muito embora o filme sobre charlatanismo religioso com Barbara Stanwyck seja excelente.

Their first collaboration wasn’t really a collaboration. I say that because the film “The Miracle Woman” (1931) was based in a story written by Riskin, called “Bless You Sister”, but Riskin had nothing to do with the adaptation to the screen. It was the only box office flop in Capra’s Columbia period, even though it was an outstanding film about religious charlatanism starring Barbara Stanwyck.


A primeira colaboração real foi “Loura e Sedutora” (1931), baseado em uma história escrita por Riskin, que também escreveu os diálogos para o filme. A comédia conta com Loretta Young, Jean Harlow e Robert Williams. O filme foi um sucesso.

Their first real collaboration was “Platinum Blonde” (1931), based on a story written by Riskin, who also wrote the dialogue for the film. The comedy stars Loretta Young, Jean Harlow and Robert Williams. The film was a success.


Em seguida veio “Loucura Americana” (1932), uma ideia original Riskin-Capra. O filme, estrelado por Walter Huston, lidava com a Grande Depressão, ainda em curso.

Next up comes “American Madness” (1932), an original Riskin-Capra idea. The film, starring Walter Huston, dealt with the ongoing Depression.


Os anos dourados da parceria começam com “Dama por um Dia” (1933). A história de Apple Annie foi indicada a quatro Oscars – e Capra esperava ganhar todos os quatro, como ele confessa na autobiografia. Com os discursos prontos, ele protagonizou um dos mais vergonhosos momentos do Oscar: quando o apresentador Will Rogers anunciou o prêmio de Melhor Diretor com um “Venha buscar, Frank!”, Capra levantou-se e estava chegando ao palco quando percebeu que era Frank Lloyd que era o vencedor.

Then, the golden years of the collaboration begin with “Lady for a Day” (1933). The story of Apple Annie was nominated for fours Oscars – and Capra expected to win all four, as he confesses in his autobiography. With his speeches ready, he was the center of one of the most embarrassing Oscar moments ever: when presenter Will Rogers announced the Best Director award with a “Come and get it, Frank!”, Capra went almost all the way to the stage, only to realize that it was Frank Lloyd who had won.


Felizmente, o filme seguinte de Capra, “Aconteceu Naquela Noite” (1934), ganhou não só quatro, mas sim cinco Oscars, incluindo de Melhor Roteiro Adaptado para Riskin. Com Clark Gable e Claudette Colbert, o filme conta a história de uma herdeira em fuga e de um repórter que a segue em busca de um furo de reportagem.

Fortunately, Capra’s next film, “It Happened One Night” (1934), won not four, but five Oscars, including one for Best Writing, Adaptation for Riskin. Starring Clark Gable and Claudette Colbert, the film tells the story of a runaway heiress and the reporter who follows her to get a scoop.


Também de 1934 é “A Vitória Será Tua”, um filme sobre corridas de cavalos com Myrna Loy e Warner Baxter. Eu ainda não vi este filme, mas vi o remake fofo dele, também dirigido por Capra: “Nada Além de um Desejo” (1950).

Also from 1934 comes “Broadway Bill”, a film about horserace starring Myrna Loy and Warner Baxter. I haven’t seen this film, but I saw the cute remake, also directed by Capra: “Riding High” (1950).


De acordo com Joseph McBride, no livro “Frank Capra: The Catastrophe of Success”, Capra foi tomado pela Síndrome do Impostor e pela ansiedade depois de ganhar o Oscar. Foi por isso que dois anos se passaram antes de “O Galante Mr Deeds” (1936) chegar às telas. Mr Deeds, interpretado por Gary Cooper, é um simplório tocador de tuba que herda uma fortuna e a partir daí tem uma série de problemas. Este foi o roteiro que Riskin mais gostou de escrever. Capra ganhou seu segundo Oscar de Melhor Diretor, mas mais tarde ele disse que Riskin também merecia ter ganhado outro Oscar.

According to Joseph McBride, in the book “Frank Capra: The Catastrophe of Success”, Capra was overcome by impostor’s syndrome and anxiety after winning the Oscar. That’s why two years had to pass for “Mr Deeds Comes to Town” (1936) hit the screen. Mr Deeds, played by Gary Cooper, is a simple tuba player who inherits a fortune and only gets problems afterwards. This was Riskin’s favorite of the screenplay he wrote. Capra won his second Best Director Oscar for the film, but he later said that Riskin deserved one, too.


Já naquela época, Riskin queria mais crédito. Ele pediu para ser creditado como colaborador de Capra – e Capra se recusou a fazê-lo. Então, Riskin disse que queria se tornar diretor – e Capra apoiou a decisão. O primeiro e único filme de Riskin como diretor foi o musical “Prelúdio de Amor” (1937), com Cary Grant e Grace Moore.

By that time, Riskin wanted more screen credit. He asked to be credited as collaborator to Capra – and Capra refused. Then, Riskin said he wanted to become a director – and Capra supported the decision. Riskin’s first and only film as a director was the musical “When You’re in Love” (1937), with Cary Grant and Grace Moore.


Em 1937 Riskin também adaptou uma história que gerou o roteiro de “Horizonte Perdido”, um filme de ficção científica profundo e cheia de aventura com Ronald Colman. Logo depois de terminarem este filme, Capra e Bob foram convidados para fazer um tour pela União Soviética.

In 1937 Riskin also adapted a story into the screenplay of “Lost Horizon”, a deep, adventurous science fiction movie with Ronald Colman. Right after they finished this film, Capra and Bob were asked for a tour in the Soviet Union.


O ano de 1938 trouxe a adaptação da peça “Do Mundo Nada se Leva”, e um golpe na relação. O primeiro filme de Riskin como diretor foi um fracasso e ele, mais do que nunca, acreditava que Capra estava levando o crédito pelo trabalho de Bob. Capra acreditava que Riskin fracassou como diretor porque ele não trabalhava bem sob pressão.

The year 1938 brought the adaptation of the play “You Can’t Take it with You”, and a blow in the relationship. Riskin’s directorial debut flopped, and he, more than ever, believed Capra was taking credit for his work. Capra believed Riskin failed as a filmmaker because he couldn’t work well under stress.


Em 1939, os amigos formaram uma nova companhia que foi batizada com o nome do sócio majoritário: Frank Capra Productions – Capra tinha 65% do capital, e Riskin tinha 35%. Ambos tinham deixado a Columbia, Riskin trabalhou com Samuel Goldwyn por um tempo, e o primeiro filme deles para a nova companhia foi “Adorável Vagabundo” (1941) – baseado em um conto, o filme começou a ser filmado sem um final ter sido decidido. O filme não fez sucesso.

In 1939, the friends formed a new production company that was baptized with the name of the main partner: Frank Capra Productions – Capra held 65% of the capital, and Riskin held 35%. Both had left Columbia, Riskin worked with Samuel Goldwyn for a while, and their first film for the new company was “Meet John Doe” (1941) – based on a short story, it started being shot without an ending set. The film wasn’t a hit.


Com a companhia dissolvida, os dois cogitaram se unir à United Artists. Mas havia uma guerra acontecendo. Durante o conflito, Capra e Riskin tomaram caminhos diferentes: Capra fez “Este Mundo é um Hospício” em 1941, mas o filme só estreou em 1944, e depois Capra se alistou no exército e dirigiu documentários sobre a guerra, enquanto Riskin foi para Londres fazer filmes de propaganda de guerra, e mais tarde se casou com a atriz Fay Wray. Como Capra escreveu: “Foi preciso uma guerra para nos separar”.

With the company dissolved, the two thought about joining United Artists. But there was a war going on. During the conflict, Capra and Riskin parted: Capra made “Arsenic and Old Lace” in 1941 but the film wasn’t released until 1944, then Capra joined the Army and directed war documentaries, while Riskin went to London to work on war propaganda films and later married actress Fay Wray. As Capra put in words: “It took a war to break us up”.


Os caminhos deles meio que se cruzaram de novo nos anos 50: em 1951, Capra fez “Órfãos da Tempestade”, baseado em uma história que Riskin havia vendido para a Paramount. Riskin foi indicado a um Oscar por sua história.  Na época, Riskin já havia sofrido o primeiro derrame e sua saúde ia mal.

Their paths kind of crossed again in the 1950s: in 1951, Capra made “Here Comes the Groom”, based on a story that Riskin had sold to Paramount. Riskin was nominated for an Oscar for the story. By then, Riskin had already suffered his first stroke and had a decaying health.


Mesmo que Capra nunca tenha visitado Riskin quando ele estava internado na Motion Picture & Television Country Home & Hospital, Riskin ainda dizia que Capra era “seu melhor amigo” até a morte. Capra não foi ao funeral de Riskin em 1955. Riskin tinha apenas 58 anos quando faleceu.

Even though Capra never visited Riskin as Riskin was taken ill to the Motion Picture & Television Country Home & Hospital, Riskin still said Capra was “his best friend” up until his death. Capra didn’t attend Riskin’s funeral in 1955. Riskin was only 58 when he passed away.


O último filme de Capra foi um remake de “Dama por um Dia”, feito em 1961. Mesmo no final, seu melhor colaborador e amigo estava presente. A autobiografia de Capra foi publicada em 1971 – e ele só tinha coisas boas para dizer de Robert Riskin.

Capra’s last film was a remake of “Lady for a Day”, made in 1961. Even in the end, his best collaborator and friend was present. Capra’s autobiography was first published in 1971 – and he only had good things to say about Robert Riskin.

This is my contribution to the Fay Wray and Robert Riskin, the Blogathon, hosted by Aurora and Annmarie at Once Upon a Screen and Classic Movie Hub.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...