Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Nove vezes Cantando na Chuva



Além do melhor musical de todos os tempos, “Cantando na Chuva” é uma música composta, pasmem, em 1927 por Arthur Freed (letra) e Nacio Herb Brown (melodia), responsáveis por todas as outras canções apresentadas no filme de 1952. É parte da cultura popular norte-americana e (por que não?) mundial. Talvez o filme estrelado por um lânguido Gene Kelly tenha sido o veículo principal para tamanha popularidade, mas “Cantando na Chuva” faz ponto no cinema há muito tempo. São versões diferentes na velocidade, no tom e no intérprete, porém com uma música inconfundível.

1 - Doris Eaton Travis, a Ziegfeld Girl que mais tempo viveu, foi a primeira a gravar a música, em 1929, em The Hollywood Music Box Revue. Talvez o fato de que tivesse um romance com Nacio Herb Brown a tenha ajudado nessa empreitada.
2 - No mesmo ano, naquela que talvez seja a primeira extravaganza da história do cinema, “Cantando na Chuva” estava presente. O cantor Ukelele Ike apresentou-a tocando no instrumento havaiano que lhe rendeu o apelido. No final do filme The Hollywood Revue of 1929, feito em Technicolor, todos cantam a música, vestidos com capas de chuva. Estrelas como Joan Crawford e Buster Keaton estão na multidão e é fácil reconhecê-los.
 3 - Um ano depois, a versão instrumental pode ser ouvida no início de A Divorciada / The Divorcee, que rendeu um Oscar de Melhor Atriz a Norma Shearer.
4 - Em 1932, Jimmy Durante senta em um piano e toca a música no filme Speak Easily.
5 - Oito anos depois foi a vez de Judy Garland entoar a canção em ritmo acelerado em Little Nellie Kelly, o trabalho em que ela desvencilhou-se da imagem de garotinha dando seu primeiro beijo.


6 - No mais famoso musical metalingüístico, Gene Kelly, ardendo em febre e com um terno de lã que encolhia com a umidade, literalmente cantou sob uma chuva feita de água e leite. Devidamente equipados com capas amarelas, Donald O´Connor e Debbie Reynolds se juntam a Gene em um coro para a abertura do filme.

7 - Em 1959 “Cantando na Chuva” já aparecia como uma melodia casual, fácil de assobiar ou cantarolar. É isso que Cary Grant faz num quarto de hotel ao preparar-se para um banho em Intriga Internacional / North by Northwest. 
8 - Quem disse que a canção só embala momentos alegres? Mais de quarenta anos depois de surgir, ela foi a trilha sonora para o horror: o ataque e estupro provocados pela gangue de Laranja Mecânica / A Clockwork Orange(1971). Nos créditos finais ela também é tocada.
9 - Finalmente, na recente animação Robôs / Robots (2005), o robozinho Fender canta sua versão denominada “Singin´in the Oil”, na mesma melodia de “Singin´in the Rain”.
Além de todas essas interpretações na tela grande, “Cantando na Chuva” virou musical na década de 80 e esteve presente em incontáveis séries televisivas, provando que clássicos nunca são esquecidos.

5 comentários:

Ana disse...

Oi Letícia! Acabei de conhecer seu blog (não me pergunte como o achei, hehehe, eu vou abrindo mil e um sites e depois não me lembro) e gostei muito... Já estou seguindo. Compartilho com você a paixão por cinema clássico, Glee e Modern Family. E, aliás, identifico-me um pouco com você. Devo te parabenizar por seu gosto e estilo. Eu me apaixonei pelo cinema em preto e branco quando tinha 12 anos, e nessa época eu também era uma nerd (como você mesma já enfatizou em seu post sobre Glee, felizmente esta palavra hoje não é mais tão pejorativa!), não tinha vida social, vivia reclusa em meus livros, estudos e filmes. Ah, como era bom! Não me arrependo de nada. Nunca invejei minhas colegas de classe que preferiam sair, ir a festas e falar de garotos. Acho que serei assim para sempre, apesar de a vida (e uma pessoa muito especial) ter feito com que eu mudasse um pouco... Mas continuo apaixonada pelos clássicos, pelos livros, por poesia, história e filosofia. Parabéns por ser quem é. Li vários posts seus e adorei todos. Você tem TV a cabo? O canal TCM e o TC Cult têm passado muitos clássicos bons ultimamente. Beijos, e continue escrevendo!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gostei... que curioso.... O seus posts sempre me surpreendem.

O Falcão Maltês

Kuki Bertolini disse...

Muito legal seu blog,Lê!!já estou seguindo!é muito bom poder trocar ideias!sempre que puder,apareça por lá!!grande abraço!!=D
http://thecinefileblog.blogspot.com/

Renan Maia disse...

Obrigado pela visita.

Curti o clima cult-retrô do teu blog e sempre que puder, voltarei.

beijos!

Cristiano Contreiras disse...

Teu blog é um dos espaços mais autênticos e importantes da esfera bloguística. O cinema clássico fortalece aqui! abs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...