Tradutor / Translator / Traductor / Übersetzer / Traduttore / Traducteur / 翻訳者 / переводчик

sábado, 10 de setembro de 2011

Top Five – Péssimas traduções de títulos

Nós, amantes do cinema clássico, vira-e-mexe nos deparamos com títulos esdrúxulos. Muitas vezes encontramos termos pomposos da época do lançamento, como “Marujo Intrépido”, “Idílio em Dó Ré Mi”, “Bravura Indômita” e “Os Bravos Morrem de Pé”. Outras vezes, gírias da época foram usadas, como em “Levada da Breca” e “Essa pequena é uma parada”, sendo, aliás, o segundo uma refilmagem do primeiro (só trocam o leopardo que causa toda a confusão por uma maleta). Porém, algumas traduções descaracterizam totalmente o título e dão uma idéia errada ao espectador. Vamos a uma pequena lista desse último caso:

5.       Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (Annie Hall, 1977): Título ótimo para um filme sobre um casamento... coisa que certamente nunca passou pelas cabeças das personagens de Woody Allen e Diane Keaton
4.       Jules e Jim – Uma mulher para dois (Jules et Jim, 1962): Regra básica da língua portuguesa: aposto é uma explicação ou restrição de um termo já citado. Pois bem, o subtítulo “uma mulher para dois” é o aposto, mas “Jules e Jim” são os dois para quem é a mulher, logo, nada têm a ver com o subtítulo. Confuso.
3.       Núpcias de Escândalo (The Philadelphia Story , 1940): Não haveria perda se o filme tivesse o nome de “Uma história da Filadélfia” (“A história”pareceria algo sério demais). Só que o nome pelo qual ficou conhecido recentemente (na época da péssima dublagem para exibição original, o nome era “Casamento Grã-Fino”. Hoje ninguém mais usa esse adjetivo) nos leva a crer que não é uma comédia, mas sim um drama, ou talvez algo mais picante.
2.       Daunbailó (Down by Law, 1986): Provavelmente um tradutor em crise criativa precisou dar conta desse título. Leu em inglês e copiou a pronúncia exata. Esse título não dá nenhuma interpretação errada, mas, convenhamos: é péssimo.
1.       Uma Rua chamada Pecado (A Streetcar named Desire, 1951): Estava me esquecendo desta que é, sem dúvida, a PIOR TRADUÇÃO já feita! Pode até ser que, pelo enredo pesado e pelas situações-limite mostradas, o nome pareça adequado, não fosse um pequeno detalhe: Blanche chega à casa de sua irmã, que não fica na “rua Pecado”,  ao tomar um bonde (a streetcar) chamado (named) desejo (desire)!!!  

15 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Fantástico, Lê. Realmente tem cada título de doer...

O Falcão Maltês

M. disse...

Realmente Lê! Esses tradutores daqui são meio que sem noção.

Luciano A.Santos disse...

Sou um grande fã do Woody Allen - tenho que assistir Meia-noite em Paris, rs - e Noivo Neurótico, Noiva Nervosa sempre me incomodou.

Gostei da lista ;)

Karla Hack dos Santos disse...

Nunca consegui entender o que se passa na cabeça de certos tradutoras... Daunbailó, por exemplo... Não tem nem argumentos!

Ótimo post!

;D

Pelos Olhos de Andrei disse...

É, eu nunca escrevo ou falo aquele título horrível do filme do Allen. "Annie Hall" é infinitamente melhor.

Deise Luz disse...

Olá,

vim visitar seu blog e adorei.
o cinema clássico é, definitivamente, uma paixão pra mim.

já escrevi um post parecido com esse seu pra um outro blog que escrevo com amigos. o link está aqui, caso queria ler: http://www.cinemosaico.com/2010/12/os-piores-titulos.html

o filme clássico mais recente que vi foi Se Meu Apartamento Falasse, com Shirley Maclaine e Jack Lemmon. É maravilhoso! Você já viu?

Um abraço,

Deise =)

Hugo disse...

Lê, são traduções desastrosas, mas a minha preferida neste quesito é "O Tiro Que Não Saiu Pela Culatra", comédia dos anos oitenta com Steve Martin que tinha o título original de "Parenthood" ("Paternidade").

Valeu pela visita ao blog, estou linkando seu endereço lá.

Até mais

Sergio L. Andrade disse...

O Brasil tem uma longa tradição em títulos péssimos. Infelizmente. Tem um filme do Hitchcock de 1936, "Sabotage", que aqui se chamou "O Marido era o Culpado"...

Ciro Hamen disse...

OI Letícia, bem legal o blog. Parabéns pelo bom gosto. Realmente Daunbailó é um título que nunca entendi rsrs.

beijos!

Maxx disse...

Daunbailó é brincadeira né??????

Ri muito com isso.

Abç e bons filmes.

Allan Robert P. J. disse...

Pior que traduzir os títulos é traduzir os nomes de personagens. No filme "Gone with the wind" ("E o vento levou" em português e "Via col vento" em italiano) a personagem Scarlet O'hara foi rebatizada Rossella, na Itália. O nome é um diminutivo de vermelho, "rosso" em italiano.
:)

Leonel disse...

Alô, Letícia!
Obrigado pela sua visita a O ASTERÓIDE.
Apesar de jovem, você conhece muito de filmes antigos e clássicos!
Alguns títulos que mais me irritaram foram:
"Os Brutos Também Amam", que não tem nada a ver com a história nem com o título original: SHANE, o nome do pistoleiro-herói, e
"Assim Caminha a Humanidade", para GIANT (gigante), uma referência ao fazendeiro vivido por Rock Hudson.
Mas, tem muitos outros!
Abraços!

Edson Coelho disse...

Existem milhares desse tipo né?
Pecados íntimos por exemplo...

Mas confesso que o título do filme do Woody foi ótimo (apesar de induzir ao erro rs)

Suelen Alves disse...

Daunbailó. gente, não me contive e tive que rir husahsuah

http://worldplush.blogspot.com/

O Narrador Subjectivo disse...

A segunda tradução é a minha preferida, fantástica :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...